Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/03/2006 - 23h31

Homem passa por cirurgia para mudança de sexo no interior de SP

Publicidade

JOSÉ EDUARDO RONDON
da Agência Folha

Um homem que possuía genitália feminina e órgãos internos de mulher foi submetido a uma cirurgia em São José do Rio Preto (440 km a noroeste de São Paulo) para que fossem construídos um pênis e um saco escrotal em seu corpo.

A técnica, denominada transgenitalização de disforia de gênero (readequação ou mudança de sexo), foi feita na segunda-feira (6), no Hospital de Base da cidade, pelo médico urologista Carlos Cury.

O cirurgião disse que não podia afirmar se é um caso inédito na medicina, mas afirmou que, normalmente, a técnica é usada em homens que tenham mente feminina e que desejam que seu órgão sexual masculino seja retirado.

No hospital, que é pioneiro na técnica, desde 98, já foram realizadas 53 cirurgias de transgenitalização, segundo Cury.

O paciente, de 50 anos, casado, biologicamente era mulher, declarou o cirurgião. "Ele tem mamas, tem útero, tem ovário e tem vagina. Biologicamente ele é mulher. Surpreendentemente, para nós, o código genético dele é de homem. Quando nasceu, a genitália dele era indiferenciada, e seu pai tanto poderia tê-lo registrado como homem ou como mulher."

Cury disse que a cirurgia proporcionou adequar o corpo à mente. "Embora tendo um corpo feminino, ele nunca deixou de ser homem em sua mente."

Para se submeter à cirurgia, o paciente passou por tratamento médico e psicológico no hospital durante três anos. "Começamos um tratamento hormonal. O hormônio masculino neutralizou a produção de hormônio feminino. Ele parou de menstruar, e houve uma atrofia dos órgãos femininos. Eles diminuíram, mas não desapareceram. A genitália teve uma ótima resposta ao tratamento, alongando e aumentando o clitóris".

No procedimento realizado, o clitóris, que tinha se submetido aos efeitos do hormônio, foi exteriorizado, proporcionando o surgimento de um pênis de 11 cm, informou o cirurgião. "Na região dos grandes lábios, colocamos duas próteses de testículo, para que a região tenha o formato de um saco escrotal."

De acordo com o médico, a vida sexual do paciente após a cirurgia --realizada pelo SUS (Sistema Único de Saúde)-- será normal. "Os próprio tecidos do hímen dele serviram para a construção do pênis, proporcionando que o membro enrijeça."

Recuperação

Nesta quarta-feira, o paciente, morador em Araçatuba (530 km a noroeste de São Paulo), falou com a Folha, sob a condição de não ser identificado.

"Nasci numa fazenda no interior de Mato Grosso do Sul. Naquela época, era tudo muito complicado, muito confuso. Sempre me senti homem, mas sofria discriminações. Ia em busca de um trabalho, mas não conseguia nada, diziam que eu tinha de ir ver o que tinha com meu corpo", disse J., que trabalha como operador de máquinas.

Evangélico, J. relatou que, ao ver na TV uma reportagem sobre a técnica empregada no Hospital de Base, resolveu procurar auxílio e foi atendido. "Graças a Deus, estou me recuperando bem e espero que minha vida, daqui pra frente, seja cheia de felicidade."

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre mudanças de sexo
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página