Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/08/2001 - 17h01

Agricultor de 18 anos invade escola na Bahia, fere 7 à bala e se suicida

Publicidade

LUIZ FRANCISCO
da Agência Folha, em Salvador

Armado com uma espingarda, o agricultor Robério Souza de Oliveira, 18, invadiu na manhã de hoje uma escola em Macaúbas (BA), feriu seis alunos e uma professora e depois se matou com um tiro na cabeça, de acordo com a PM.

Para chegar à sala de aula onde estudavam 32 alunos, matriculados na sétima série, o agricultou pulou o muro lateral de 2,5 metros da escola estadual Aloísio Short, localizada no centro de Macaúbas (706 km de Salvador).

Depois de pular o muro, Oliveira caminhou cerca de 150 metros até chegar à sala de aula. "Ele estava na porta da sala quando começou a atirar. Não falou nada para ninguém e disparou dois tiros", disse o escrivão Valdemar de Oliveira Júnior.

Segundo o escrivão, Robério Oliveira fugiu depois que os estudantes começaram a pedir socorro. "Houve uma gritaria muito grande. Na confusão, ele fugiu."

Oliveira Júnior disse também que cinco policiais militares e dois civis iniciaram a perseguição ao agricultor por volta das 9h30.

"A cidade é muito pequena, e não foi difícil localizá-lo nas imediações de um morro, na saída do município."

O escrivão disse também que o agricultor resolveu se matar depois que percebeu que estava cercado.

"Com a mesma espingarda usada para atirar nos alunos, ele se matou com um tiro na cabeça", afirmou Oliveira Júnior.

Raspão
Os estudantes feridos _Maria Nilza Figueiredo, 17, Aparecida Santos Neves, 16, Marineide da Mata Rego, 15, Bruno Oliveira Menezes, 15, Josane Silva Souza, 14, e um outro adolescente que não havia sido identificado pela PM até ontem à tarde_ foram atendidos no Hospital Regional de Macaúbas.

Todos receberam alta _os disparos atingiram de raspão o peito, os braços e as pernas. A professora Adriana de Cássia Brito Bastos Pinto, 29, também recebeu alta, após ser medicada no único hospital do município. Ela foi ferida no braço.

A delegada de Macaúbas, Dalva Castro do Nascimento, disse que deve ouvir os estudantes feridos até a próxima sexta-feira. "Todos estão muito abalados e precisam descansar."

Os pais do agricultor também deverão ser ouvidos nos próximos dias. O escrivão Oliveira Júnior disse que Robério Oliveira não tinha passagem pela polícia.

"Ele era trabalhador. Não sei o que se passou pela sua cabeça quando resolveu invadir a escola e atirar nos alunos."

Por determinação da delegada Dalva Nascimento, as aulas foram suspensas ontem na escola. "Tivemos que suspender as aulas para que a perícia fosse realizada."
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página