Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/07/2000 - 18h59

Sequestrador de ônibus do Rio permanece sem ser enterrado

Publicidade

da Folha Online, em São Paulo

O corpo do sequestrador do ônibus 174, Sandro do Nascimento, ainda não foi enterrado. Ele morreu asfixiado em um camburão da polícia no dia 12 de junho, depois de ter atirado na professora Geísa Firmo Gonçalves.

Desde então, o corpo está no IML (Instituto Médico Legal). Ele seria enterrado como indigente, mas a faxineira Elza da Silva se dizia mãe de Nascimento e queria enterrá-lo. Os exames de DNA comprovaram que ela não era a mãe de Nascimento.

Ontem, a advogada Cristiana Leonardo disse que iria enterrar Sandro do Nascimento. Para isso ela deveria ter ido ao IML e pegar uma autorização, mas não compareceu. Por enquanto, o corpo continua no IML.

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página