Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/07/2000 - 17h54

Em entrevista, assaltante de banco no Rio diz que "não tem intenção de machucar ninguém"

Publicidade

da Folha Online

Um dos assaltantes, identificado como "João", que mantém cerca de trinta reféns dentro de uma agência do Unibanco do Rio de Janeiro, afirmou há pouco em entrevista à Rádio CBN que o grupo não tem intenção de machucar nenhum refém. "A nossa intenção é somente negociar", disse.

De acordo com ele, os reféns não estão sendo maltratados. "A nossa finalidade era só levar o dinheiro, ninguém está sendo maltratado. O filho do delegado de São Gonçalo está com a gente e está sendo bem tratado."

"João" disse ainda que os assaltantes _um total de seis, segundo ele_ querem garantia de vida e de liberdade do governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho. "O governador tem que garantir a nossa liberdade. Prefiro a morte do que ir para a cadeia", diz.

No entanto, o assaltante faz uma ameaça: "no final, se agente se der mal, ou sai todo mundo ou não sai ninguém".

Segundo "João", a intenção do assalto surgiu a partir de uma decisão desesperada. "Tenho quase 40 anos, meus filhos estão passando necessidade, tinha que dar um basta nisso", disse. "A única solução que passou pela nossa cabeça foi essa."

Ele afirma que, dos seis assaltantes, três entraram de última hora no roubo. Além disso, outros três teriam ficado esperando o grupo do lado de fora.

A respeito do movimento "Basta! Eu Quero Paz", que organizou um ato em todo o país na última sexta-feira (7), "João" afirma: "nada disso adianta, sendo que a polícia do nosso país são os piores ladrões do mundo. Cansei de dar dinheiro para a polícia. Tentei trabalhar, mas não tive condições", diz.

"Nesse país, há dessas coisas. Todo mundo é corrupto, a diferença, é que eles são da lei, e nós não", afirmou "João".

O contato com o assaltante foi feito pela reportagem da Rádio CBN.

Depois do caso do ônibus 174, qual seria a melhor solução para evitar cenas como aquelas? Vote

Clique aqui para ler toda a cobertura do caso na página especial Pânico no Rio

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página