Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/02/2002 - 23h03

Washinton Olivetto é libertado após sequestro que durou 53 dias

Publicidade

da Folha Online

O publicitário Washington Olivetto foi libertado neste sábado por volta das 22h40. Ele estava sozinho num cubículo de três metros quadrados quando os policiais chegaram ao cativeiro, uma casa localizada na rua Kansas, no Brooklin, zona sul de São Paulo. Ele estava em poder dos sequestradores desde 11 de dezembro do ano passado. Segundo a polícia, não foi pago resgate.

A polícia chegou ao local após um dos vizinhos ter ligado para o número 190, da Polícia Militar. Ele acionou a polícia após ouvir o publicitário gritar que era Washington Olivetto e que estava sequestrado.

Segundo o soldado Gimenez, um dos primeiros a che­gar ao local, Olivetto disse "eu sou sequestrado, graças a Deus vocês me acharam. Eu não vou es­
quecer". Em seguida, ele abraçou os policiais. Segundo a polícia, ele tinha de se segurar nas paredes para conseguir andar.

Com o cabelo mais comprido, barba e visivelmente abatido, o publicitário foi levado para a casa de um cunhado para ser atendido por um médico e, em seguida, pa­ra sua casa, nos Jardins. Foi levado em um Ômega pelo titular da Delegacia Anti-Sequestro, Wag­ner Giudice. Chegou abaixado,
para evitar o assédio da imprensa.

Ainda segundo a polícia, Olivetto começou a gritar no cativeiro porque percebeu que estava sozinho na casa, com muito calor e falta de ar. Antes, havia um duto que levava ar até o cubículo e música 24 horas por dia. Mas tanto a música quanto o fluxo do ar haviam parado.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, Olivetto foi deixado sozinho no cativeiro pelos sequestradores, que teriam ficado sabendo da prisão de seis sequestradores em Serra Negra (interior de São Paulo). A prisão dos seis aconteceu na sexta-feira.

Com eles, a polícia encontrou armas e bilhetes, que seriam enviados a famílias de sequestradores.

Ainda segundo a polícia, esses seis (quatro homens e duas mulheres) tinham passaportes argentinos falsos. Seriam na verdade chilenos e teriam dito em depoimento ter vinculação política, o que a Secretaria da Segurança Pública diz não acreditar.

Olivetto, de 50 anos, é um dos publicitários mais conhecidos do país. Ele foi sequestrado na noite de 11 de dezembro em São Paulo, minutos após deixar sua agência, a W/Brasil.

Seu carro foi abordado por homens disfarçados de policiais federais, em falsa blitz em Higienópolis, e foi levado, a seguir, em outro carro.

A família de Olivetto havia pedido à imprensa que não noticiasse o caso. Em respeito ao pedido, e às normas do Manual de Redação, a Folha Online apenas monitorou o caso.

Leia mais:
  • Cativeiro de Olivetto tinha 3 metros quadrados e falta de ar

  • Estrangeiros deram a pista sobre o cativeiro de Olivetto
  • Olivetto está abalado emocionalmente, diz delegado

  • Sequestro de Abilio Diniz também teve participação de estrangeiros

  • Sequestro de Washinton Olivetto acaba em São Paulo

  • Colete da PF usado por sequestradores "desarmou" Olivetto

  • Saiba mais sobre o publicitário Washington Olivetto

  • Família de Olivetto não pagou resgate, diz polícia

  • Veja as principais campanhas de Washington Olivetto

  • Em um ano, casos de sequestro mais que dobraram em SP




  • Saiba tudo no especial sobre o sequestro de Washington Olivetto
     

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página