Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/10/2002 - 17h55

Arma usada por estudante para matar colegas pertencia a seu pai

LUIZ FRANCISCO
da Agência Folha, em Salvador
e da Folha Online

O estudante E.R., 17, foi encaminhado hoje à tarde para a DAI (Delegacia para o Adolescente Infrator) e deve ser transferido para a Procuradoria da Infância e Juventude da Bahia. Ele foi preso em flagrante, acusado de matar suas colegas Vanessa Carvalho Batista, 15, e Natasha Silva Ferreira, 15, dentro da sala de aula de um colégio particular, localizado na orla de Salvador.

O crime aconteceu no início desta manhã. E.R. chegou às 8h30 ao Colégio Sigma (as aulas começam às 8h) e recebeu um exercício para fazer dentro da sala de aula.

Em seguida, o estudante sacou um revólver calibre 38 que trazia dentro da mochila e atirou na estudante Vanessa Carvalho Batista, que estava sentada ao seu lado. Com um tiro no peito, a aluna, que cursava a oitava série, morreu na hora.

Após o disparo, E.R. caminhou seis metros dentro da sala de aula e também atirou em outra colega, Natasha Silva Ferreira.

Com três tiros no peito e na cabeça, a estudante foi socorrida por colegas e transportada para o Hospital São Rafael, mas não resistiu aos ferimentos e morreu esta tarde.

Segundo testemunhas, E.R. deixou a sala de aula e foi para a quadra de esportes do estabelecimento escolar. Durante quase uma hora, o estudante não aceitou se entregar à PM e disse que estava disposto a se matar.

Com a chegada de um irmão dele ao colégio Sigma, E.R. finalmente se entregou e foi encaminhado, inicialmente, para a Delegacia do Adolescente Infrator. Após ser ouvido, foi transferido para a Promotoria da Infância e da Juventude, onde vai aguardar decisão da Justiça.

Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, a Justiça tem um prazo máximo de 45 dias _contados a partir de hoje_ para definir a pena do estudante, caso seja condenado.

Amigos das duas estudantes atingidas pelos tiros informaram que E.R. teria se revoltado com as colegas por causa de uma gincana. As duas teriam dado nota dois ao estudante em uma prova que valia cinco pontos. Inconformado com os critérios, E.R. teria prometido vingança.

A delegada Lígia Costa, responsável pelo inquérito, disse que o estudante acusado de matar a colega é filho de um perito policial. "Provavelmente, ele [E.R.] pegou a arma do pai."

Costa disse também que os diretores do estabelecimento escolar prestaram socorro às vítimas. "Infelizmente, o tiro foi certeiro e à queima-roupa."

Em nota oficial, a diretoria do Colégio Sigma informou que o estudante E.R. foi expulso da escola e que todas as providências foram tomadas para esclarecer o crime. No final desta manhã, dois peritos estiveram na escola para elaborar o laudo que será encaminhado à Justiça.

O Colégio Sigma possui cerca de 250 alunos matriculados em cursos do ensino médio e do ensino fundamental. As aulas que seriam realizadas à tarde no colégio foram suspensas para que alunos e professores acompanhassem o enterro da estudante Vanessa Carvalho Batista.


Leia mais:
  • Adolescente entra armado em escola e mata duas estudantes na BA




  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página