Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/03/2004 - 19h12

PF prende quadrilha acusada de contrabandear pedras preciosas

Publicidade

da Folha Online

Uma operação realizada pela Polícia Federal prendeu, nesta segunda-feira, 15 pessoas, em São Paulo e Rondônia, acusadas de formar uma quadrilha internacional de contrabandistas de pedras preciosas.

Entre os presos estão um agente e um delegado da Polícia Civil de Rondônia, um policial federal, empresários, advogados, contadores e índios, além de Marcos Glikas, considerado um dos maiores contrabandistas de pedras preciosas do Brasil.

Glikas, o alvo principal da operação, já havia sido preso anteriormente em Nova York, por determinação da Justiça americana, pelo crime de lavagem de dinheiro. Solto após o pagamento de uma fiança, ele retornou para o Brasil.

Operação

De acordo com a PF, a operação, batizada de "Kimberley" --nome do certificado exigido para a comercialização internacional de diamantes--, foi iniciada há cerca de um ano. Ela detectou que caciques de uma tribo que ocupam a reserva indígena Roosevelt, em Rondônia, promoviam o garimpo ilegal dentro das terras.

Após o acúmulo de um lote de diamantes, os índios repassavam as pedras a Glikas, que as buscava dentro da reserva indígena em uma aeronave.

O policial civil era responsável pela segurança física e intermediação das ações de Glikas. Da reserva, as pedras eram levadas para São Paulo, onde, com o auxílio do policial federal, ele conseguia fazer a retirada dos diamantes burlando a fiscalização da Receita Federal e da PF.

As investigações apuraram que apenas em uma transação o empresário paulista vendeu um lote de diamantes no valor de US$ 1,8 milhão a receptadores belgas.

Encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal de São Paulo, Glikas vai responder pelos crimes de formação de quadrilha, receptação, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, crimes ambientais e contrabando.

Especial
  • Leia mais notícias e fique por dentro do Ambiente
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página