Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
31/10/2002 - 00h05

Santos consegue empate com o Bahia no final

da Folha de S.Paulo

Com um gol do lateral-esquerdo Leo nos acréscimos do jogo, o Santos alcançou o objetivo traçado por seu treinador para o confronto de ontem, em Salvador, contra o Bahia.

Numa partida em que seu ataque não repetiu a produção de outras rodadas, mesmo diante de uma equipe que pouco precisou apelar às faltas, o time de Emerson Leão empatou em 1 a 1.

Na véspera do jogo, o comandante santista disse que já se contentaria com o empate, que colocou seu time na quinta colocação do Brasileiro-02.

Agora, para ir à segunda fase, o time do litoral de São Paulo, segundo os cálculos de sua própria comissão técnica, precisa ganhar cinco pontos nos três confrontos que ainda vai realizar.

Ontem, principalmente no primeiro tempo, o Santos não foi o mesmo time do resto do Brasileiro. Segundo o Datafolha, o time só finalizou cinco vezes nos 45 minutos iniciais. Na média, o time consegue concluir dez vezes em cada tempo no certame.

Isso mesmo sem enfrentar uma marcação dura. Em todo o jogo, o Bahia cometeu apenas 13 faltas, praticamente metade da média geral da competição.

Na primeira etapa, os dois times priorizaram as laterais. Pelo Bahia, o meia-atacante Geraldo e o lateral Calisto, pela esquerda, envolviam frequentemente a marcação santista, enfraquecida com a contusão de Elano _uma torção no tornozelo_ logo aos 3min.

O meia ainda tentou permanecer em campo, mas acabou substituído no meio do primeiro tempo por Robert.

Foi justamente em uma jogada pelo setor esquerdo, aos 13min, que o time da casa criou sua melhor chance, em uma cabeçada de Nonato defendida pelo goleiro Júlio Sérgio. Para o Santos, a única grande chance da etapa aconteceu depois de jogada individual pela direita de Diego, que cruzou para Renato cabecear para fora.

O time paulista voltou para o segundo tempo novamente recuado. Dessa vez, entretanto, o castigo não demorou. Aos 10min, o atacante Robson foi derrubado por Júlio Sérgio. O juiz marcou o pênalti, convertido um minuto depois pelo próprio Robson.

Descontente com o desempenho de sua equipe, Leão tirou Diego para dar lugar a William. Anteontem, o treinador já havia ameaçado barrar o jovem astro de seu time, que não repete mais a boa fase de antes e comete seguidos atos de indisciplina.

A mudança melhorou o time santista. Com Robinho se movimentando mais, o Bahia passou a ter sua meta ameaçada.

Mas foi só aos 47min que os paulistas conseguiram o empate. Depois de driblar um adversário, Robinho tocou para Leo, que invadiu a área e tentou um cruzamento. A bola bateu no zagueiro Valdomiro e entrou.

Com o resultado, o Bahia continua ameaçado de rebaixamento. O time, com 25 pontos, é o 17º colocado do Brasileiro agora.

BAHIA
Emerson; Daniel, Marcelo Souza, Valdomiro e Calisto; Ramalho, Jair, Bebeto Campos (Carlinhos) e Geraldo; Robson (Nilson) e Nonato (Gil Baiano).
Técnico: Candinho.

SANTOS
Júlio Sérgio; Maurinho, Preto, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Robert) e Diego; Robinho e Alberto (Douglas).
Técnico: Emerson Leão.

Local: Estádio da Fonte Nova, em Salvador
Árbitro: Wagner Tardeli Azevedo (RJ)
Cartões amarelos: Alberto, Preto, Júlio Sérgio e André Luís
Gols: Robson, aos 11min, e Léo, aos 46min da etapa final

Leia mais: Campeonato Brasileiro
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página