Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/10/2000 - 00h15

Primeiro escândalo da carreira de Luxemburgo foi anterior à seleção

Publicidade

da Folha Online

O primeiro grande escândalo público do técnico Wanderley Luxemburgo vem do tempo anterior à seleção brasileira. Em 1996, o treinador foi acusado de assédio sexual pela manicure Cláudia Laudineide Machado Cavalcante.

O treinador, então no Palmeiras, teria tentado abusar da manicure no hotel Vila Rica, em Campinas, antes de um jogo de sua equipe contra o Rio Branco, em Americana.

A Justiça aceitou uma acusação de atentado violento ao pudor, mas acabou inocentando o técnico em novembro de 1997. Em outubro de 1998, foi confirmada a sentença que o absolveu.

Segundo a versão da manicure, ela teria ido atender Luxemburgo em seu quarto, onde o treinador encontrava-se enrolado apenas em uma toalha. Na versão do acusado, ele estava vestindo o agasalho do Palmeiras.

Depois de resolvido o caso do assédio, Wanderley Luxemburgo ainda teve problemas com uma produtora de filmes pornôs, que lançou o víddeo "Vanderburgo e a Manicure", fazendo paródia da acusação de assédio sexual.

Leia mais:
  • Luxemburgo não é mais técnico da seleção brasileira
  • Conheça o perfil dos técnicos mais cotados para assumir a seleção
  • Problemas de Luxemburgo com a Justiça são anteriores à seleção
  • Veja a cronologia completa da "era Luxemburgo"
  • "Era Luxemburgo" só teve sucesso contra rivais insignificantes
  • Veja quais são os próximos jogos do Brasil nas eliminatórias
  • Luxemburgo não se destacou como jogador
  • Confira algumas das frases polêmicas de Luxemburgo

    Leia mais sobre esporte na Folha Online
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página