Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/06/2003 - 18h12

Gol no final dá empate ao Flamengo na decisão da Copa do Brasil

da Folha Online

O maior ímpeto ofensivo do Cruzeiro foi insuficiente para vencer no Rio o Flamengo, na primeira partida da decisão da Copa do Brasil. Com o gol de empate flamenguista aos 49min da etapa final, a partida acabou em 1 a 1. Na quarta-feira, em Belo Horizonte, o time mineiro precisa vencer ou empatar por 0 a 0 para conquistar seu quarto título da competição. Já o rival tem de ganhar ou empatar por dois gols ou mais.

O Flamengo também chegou a ter um gol de Edílson anulado antes de conseguir o empate, em uma marcação polêmica de impedimento por parte do juiz Carlos Eugênio Simon. Quem reclamou mais do árbitro no final, porém, foi o técnico do Cruzeiro, Wanderley Luxemburgo, que vai ficar sem os zagueiros Thiago e Edu Dracena na quarta-feira por causa do terceiro cartão amarelo.

Apesar de jogar fora de casa e com o Maracanã cheio, o Cruzeiro tomou mais a iniciativa desde o começo da partida. Já aos 3min, Maurinho lançou para Aristizábal na área, que, de primeira, chutou por cima. Na sequência, Alex também tentou pela primeira vez, da entrada da área, e mandou por cima.

Diante da pressão do rival, o Flamengo se defendia mais e se concentrava nos contra-ataques. O primeiro chute da equipe só veio aos 15min, com uma tentativa de longe de Athirson.

Aos poucos, o Flamengo começou a equilibrar o jogo e aumentar seu tempo de posse de bola, mas o Cruzeiro continuava a ser mais ofensivo. Na defesa, mesmo com o ímpeto do adversário, o time carioca se saía bem. Sua maior dificuldade era com o meio-campo, que não conseguia armar jogadas de ataque.

A equipe mineira só voltou a ter um lance de perigo aos 32min, em chute forte de Alex, da entrada da área. Do lado flamenguista, um dos três zagueiros, Fernando, precisou ir ao ataque e chutar por cima para que seu time ameaçasse. Foi do Flamengo, porém, a melhor chance do primeiro tempo, com Edílson, que entrou na área e chutou, mas Gomes espalmou para escanteio.

Na etapa final, novamente foi o Cruzeiro que começou no ataque. Logo aos 4min, Deivid cruzou para Aristizábal, que chutou no lado de fora da rede. Também como no período anterior, o Flamengo passou aos poucos a reagir e levou perigo aos 12min, com Zé Carlos, que, em uma bicicleta, chutou para fora.

Conforme o jogo avançava e o rival continuava a atacar, a equipe carioca recuou e ameaçava pouco à defesa do Cruzeiro. A punição veio aos 31min, quando Deivid cruzou da direita e Alex fez 1 a 0 com um toque de letra.

Para tentar recuperar o prejuízo, o técnico Nelsinho Baptista tirou um dos três zagueiros e colocou mais um atacante. A mudança tática só foi surtir efeito aos 49min, quando Fernando Baiano empatou, após confusão na área. Antes, o goleiro Gomes e um gol anulado de Edílson não haviam permitido o empate.

FLAMENGO
Júlio César; Fernando, Valdson (Fernando Baiano) e André Bahia; Luciano Baiano, Fabinho, André Gomes (Igor), Felipe e Athirson; Zé Carlos (Jean) e Edílson.
Técnico: Nelsinho Baptista

CRUZEIRO
Gomes; Maurinho, Edu Dracena, Thiago e Leandro; Augusto Recife, Márcio (Jardel), Wendell e Alex; Deivid (Mota) e Aristizábal (Luisão).
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Estádio: Maracanã, no Rio
Juiz: Carlos Eugênio Simon (RS)
Público: 73.104 pagantes
Cartões amarelos: Augusto Recife, Edu Dracena e Thiago (C); Athirson e André Gomes (F)
Gols: Alex, aos 31min, e Fernando Baiano, aos 49min do segundo tempo

Especial
  • Copa do Brasil

  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página