Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
06/08/2004 - 18h00

Torben Grael levará a bandeira do Brasil na abertura dos Jogos de Atenas

Publicidade

da Folha Online

Atletas brasileiros com maior número de medalhas olímpicas em todos os tempos --cada um tem quatro--, o iatista Torben Grael e o nadador Gustavo Borges foram escolhidos como porta-bandeiras da delegação brasileira nas cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos de Atenas.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira pelo presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Carlos Arthur Nuzman, logo após a cerimônia de hasteamento da bandeira brasileira na Vila Olímpica, em Atenas.

Torben Grael ganhou três de suas medalhas na classe star --ouro em Atlanta-96 e bronze em Seul-88 e Sydney-2000-- e uma na soling --prata em Los Angeles-84. Em Atenas, o iatista disputará sua sexta Olimpíada, outro recorde do esporte brasileiro.

Já Gustavo Borges começou a despontar nos Jogos de Barcelona, em 1992, quando ficou com a prata nos 100 m livre. Em Atlanta-96, mais duas medalhas: bronze nos 100 m livre e prata nos 200 m livre. Nos Jogos de Sydney, há quatro anos, o nadador ficou com o bronze no revezamento 4 x 100 m livre e, em Atenas, fará sua despedida das Olimpíadas.

Segundo Nuzman, a decisão sobre os porta-bandeiras foi unânime. Participaram os membros do Conselho Executivo do COB e da chefia da missão brasileira em Atenas. "Preferimos manter o mesmo critério que nos acompanha desde a cerimônia de Atlanta-96 e de Sydney-2000, nas quais tivemos dois porta-bandeiras medalhistas de ouro, e repetir um medalhista de ouro, campeão olímpico, que é Torben Grael", disse o dirigente.

Foi a primeira vez que o Comitê anunciou antecipadamente a escolha do porta-bandeira do desfile de encerramento. "Este é um reconhecimento ao maior nadador da história do Brasil em Jogos Olímpicos", afirmou Nuzman.

Antes da escolha, Gustavo Borges já havia se prontificado a carregar a bandeira brasileira na cerimônia de abertura, já que Atenas-2004 será sua última Olimpíada como atleta.

"Acho até louvável o Gustavo dizer que desejava (ser porta-bandeira), mas nós seguimos um princípio", comentou Nuzman. A convite do dirigente, Gustavo Borges, que competirá na primeira semana dos Jogos, poderá permanecer na Vila Olímpica até o final das competições.

Torben será porta-bandeira pela primeira vez na abertura, que será realizada na próxima sexta-feira. "É muito legal receber essa homenagem agora, mesmo porque não sei se chegarei à sétima participação", afirmou o iatista, que se emocionou ao posar para os fotógrafos com a bandeira brasileira, na Vila Olímpica. "Se pudesse não largava mais ela."

Em aclimatação com a equipe brasileira na cidade de Rio Maior, em Portugal, Gustavo Borges também se mostrou emocionado. "É um fecho de ouro para a minha carreira. Fiquei muito feliz de ter sido escolhido junto com o Torben, já que eu e ele somos os maiores medalhistas do Brasil na história", comemorou. "Sei que ganhar uma medalha vai ser difícil, mas essa homenagem é uma vitória, construída ao longo dos três Jogos Olímpicos de que participei."

Com a oportunidade de carregar a bandeira no encerramento, Borges também poderá ficar até o fim dos Jogos em Atenas, acompanhando outras modalidades, algo que nunca teve oportunidade de fazer. "Pode ter certeza de que não vai ter ninguém mais feliz do que eu na Vila quando os Jogos terminarem."

Especial
  • Arquivo: Veja o que já foi publicado sobre Torben Grael
  • Arquivo: Veja o que já foi publicado sobre Gustavo Borges
  • Leia mais notícias no especial dos Jogos Olímpicos-2004
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página