Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/01/2007 - 12h30

Bloqueio de vídeo de Cicarelli no YouTube ganha destaque internacional

Publicidade

da Folha Online

Oficiais da Justiça brasileira disseram nesta quinta-feira que um juiz ordenou que o YouTube encontre uma forma de fazer com que os brasileiros parem de assistir ao vídeo de Daniella Cicarelli e seu namorado.

O comunicado foi divulgado hoje pela agência internacional de notícias Associated Press, em nota reproduzida por diversos jornais internacionais.

Acompanhe os 126 destaques da mídia americana (até 13h00 de Brasília)
Acompanhe os 48 destaques da mídia espanhola (até 13h00 de Brasília)

Divulgação
Casal flagrado em cenas de intimidade virou assunto mais comentado que reeleição de Lula
Casal flagrado em cenas de intimidade virou assunto mais comentado que reeleição de Lula
Segundo a agência, em setembro foi determinado que o YouTube removesse o vídeo que mostrava Cicarelli e o banqueiro Renato Malzoni em cenas íntimas em uma praia espanhola na cidade de Cadiz. Mas o clip continua sendo exibido periodicamente no YouTube, violando a ordem de Enio Santarelli Zuliani, do Tribunal de Justiça de São Paulo.

"Cicarelli é uma das modelos mais conhecidas no Brasil. Ela apresenta um programa na MTV brasileira e esteve anteriormente envolvida com o jogador de futebol Ronaldo, que atua no time espanhol Real Madrid", afirma a agência.

O juiz afirmou que o YouTube precisa encontrar um modo de filtragem para que o vídeo pare de ser veiculado pelo site, de propriedade da empresa Google Inc., afirma a nota. O advogado que representa o namorado de Cicarelli, Rubens Decousseau Tilkian, afirmou que o YouTube não havia feito o bastante para prevenir o acesso ao clip, de forma que os internautas permanecem postando o vídeo sob diferentes nomes.

"A internet é democrática e defendemos isso, mas deve haver um certo nível de controle para evitar a infração de direitos fundamentais, como à privacidade e à intimidade", afirmou a Associated Press citando uma declaração de Tilkian por telefone.

Procurada pela agência, a porta-voz do YouTube, Jennifer Nielsen, recusou-se a comentar a decisão.

Após a repercussão nacional e internacional, links prometendo exibir o vídeo voltaram a aparecer no YouTube nesta quinta-feira, mas seguidos da tradicional mensagem que alerta sobre a remoção do vídeo por violação de termos de uso do site ("This video has been removed due to terms of use violation").

Segundo a agência, citando um comunicado oficial da Justiça brasileira, mesmo que Zuliani seja juiz de um Estado brasileiro (São Paulo, onde o uso da internet é intenso), sua decisão poderia afetar todo o país.

O caso, agora, segue para um comitê de três juízes que vão decidir se a ordem deve ser mantida ou se uma multa de US$ 119 (por vídeo) seria aplicada ao site YouTube, afirmou a Associated Press, citando declarações de Tilkian.

"O advogado representou Cicarelli e Malzoni desde o início, ganhando a causa pela retirada do vídeo no site. Agora, Malzoni decidiu ir mais longe, buscando banir o YouTube no Brasil depois que o vídeo continuou a ser exibido", diz a nota.

"O problema é que o sistema [de controle do YouTube] é falho", afirmou o advogado. "Nosso objetivo é simplesmente colocar este vídeo off-line."

Leia mais
  • Vídeo de Cicarelli volta a ser exibido no YouTube
  • Justiça solicita bloqueio de site YouTube por veicular vídeo de Cicarelli

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Cicarelli no YouTube
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página