Robert Redford anuncia aposentadoria como ator após 60 anos de carreira

Ele anunciou que filme a ser lançado no mês que vem será seu último

São Paulo

Após acumular mais de 70 trabalhos como ator em quase 60 anos de carreira, Robert Redford confirmou que irá se aposentar. Ele quer que "The Old Man & The Gun", que será lançado nos Estados Unidos em setembro, seja seu último filme. 

O californiano de 81 anos anunciou seus planos para a revista Enterntainment Weekly. 

"Nunca digo nunca, mas concluí que este é o fim em termos de atuação, e que agora caminho para a aposentadoria, pois tenho atuado desde os 21 anos", disse à publicação. Ele deixou aberta a possibilidade de continuar a trabalhar como diretor.

Ele já havia anunciado que pararia de trabalhar como ator em 2016, após terminar seus próximos dois projetos. Um deles era "Nossas Noites", que foi lançado pela Netflix no ano passado.

O outro é "The Old Man & The Gun", misto de comédia e de thriller em que ele interpreta um veterano do crime. O longa, dirigido por David Lowery, terá sua pré-estreia no Festival de Toronto, no mês que vem, e logo depois entrará em circuito.

Redford é um dos rostos mais conhecidos da chamada Nova Hollywood, geração que sacudiu a indústria cinematográfica com obras mais antenadas aos anseios da juventude das décadas de 1960 e 1970. 

O ator teve seu primeiro papel, como coadjuvante, em um episódio da série de faroeste "Maverick", que foi ao ar na televisão americana em fevereiro de 1960. Em uma época em que a TV ainda não gozava do mesmo prestígio que o cinema, ele passou cinco anos pingando entre seriados e telefilmes. Nesse período, apareceu em apenas um longa, "Obsessão de Matar" (1962). 

Foi a partir de 1965 que Redford migrou para o cinema. Foi dirigido por Arthur Penn ("Caçada Humana") e por Sidney Pollack ("Esta Mulher É Proibida"), um de seus mais frequentes parceiros, e contracenou com Jane Fonda na comédia romântica "Descalços no Parque". 

O primeiro grande sucesso veio em 1969 com o faroeste "Butch Cassidy", em que fez dupla com Paul Newman como um dos foras-da-lei  que sonha em fugir para a América do Sul após um malfadado assalto. 

Ele repetiria a parceria com Newman e com o diretor George Roy Hill em "Golpe de Mestre" (1973), outro sucesso de público. O filme faturou sete estatuetas no Oscar e rendeu a Reford sua única indicação como ator.

Em 1976, ao lado de Dustin Hoffman, esteve naquele que talvez seja o seu filme mais famoso. Em "Todos os Homens do Presidente", ele interpretou o jornalista Bob Woodward, um dos responsáveis por revelar o escândalo Watergate, que abalou o governo Nixon.

​Redford ganharia um Oscar como diretor pelo drama "Gente como a Gente", em 1981, e outro honorário, por toda a sua carreira, em 2002. 

Ele também fundou o instituto Sundance e o festival que leva esse mesmo nome, dedicados à promoção dos filmes independentes. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.