Jair Bolsonaro nomeia Ricardo Braga para a Secretaria da Cultura

Novo secretário assume no lugar de Henrique Pires, que pediu demissão ao dizer que governo implantava censura

Ricardo Della Coletta Gustavo Uribe
Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) nomeou Ricardo Braga para assumir a Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania. 

Braga substituirá Henrique Pires, que deixou o cargo no final de agosto por não admitir que o governo imponha "filtros" na cultura. A decisão de Pires de sair da secretaria ocorreu pouco depois da suspensão de um edital de projetos LGBT para TVs públicas. 

A nomeação de Braga foi publicada, na noite desta quarta-feira (4), em edição extra do Diário Oficial da União. 

Procurado, o ministério da Cidadania não soube informar quem é o novo secretário vinculado à pasta. 
Interlocutores que acompanham o caso relataram à Folha que a escolha e designação de Ricardo Braga foram feitas diretamente pelo Palácio do Planalto, sem consulta ao ministério comandado por Osmar Terra. 

Ao deixar a secretaria de Cultura, Henrique Pires disse à Folha que a suspensão do edital de projetos LGBT foi apenas a "gota d'água" de uma série de tentativas do governo de impor censura a atividades culturais. 

Ele disse que há oito meses vinha tentando contornar diversas tentativas de cerceamento à liberdade de expressão.

Segundo o secretário, esses filtros estão se propagando pelo governo e as pessoas estão chamando censura "por outro nome". 

"Ficou muito claro que eu estou desafinado com ele [Terra] e com o presidente sobre liberdade de expressão", disse o secretário. "Eu não admito que a cultura possa ter filtros, então, como estou desafinado, saio eu", disse o ex-secretário, à época. 

Em entrevista à Folha na terça (3), Bolsonaro afirmou que indicaria um nome de preferência dele caso o ministro Osmar Terra não fizesse a escolha até esta quarta (4).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.