Prefeitura assina regras para volta de teatros, shows em pé e eventos com 600 pessoas

Novos protocolos passam a valer na reabertura, autorizada na fase verde no Plano SP, que deve ser anunciada em outubro

São Paulo

A Prefeitura de São Paulo assinou nesta quinta-feira (24) os protocolos para a reabertura dos equipamentos culturais da cidade.

Os setores só poderão retomar as atividades quando a capital atingir a fase quatro (verde) do Plano São Paulo —por ora, a cidade está na três (amarela). A expectativa é que a reclassificação aconteça até o começo de outubro.

As novas regras vão permitir eventos com até 600 pessoas, incluindo teatros, casas de show e espetáculos, museus, galerias, bibliotecas, convenções, seminários, workshops, palestras, feiras de artesanato, de gastronomia e similares. As festas, no entanto, continuarão vetadas por tempo indeterminado.

Para eventos com mais de 600 pessoas e menos de 2.000 será necessária uma autorização especial junto à Secretaria Municipal de Licenciamento. Já os eventos para mais de 2.000 pessoas permanecem proibidos até o fim da fase verde.

“Ainda não é a comemoração do fim da pandemia, ainda não é o momento de retomarmos. É o momento de flexibilizar pensando nos empregos, nas pessoas, no setor produtivo, mas sem deixar de lado a preservação da vida aqui na cidade”, disse o prefeito Bruno Covas, do PSDB.

Os protocolos para as salas de cinema foram determinados no dia 3 de setembro.

A maioria das regras são iguais para todos os setores, como obrigatoriedade do uso de máscaras, disponibilidade de álcool em gel, garantia de distanciamento de 1,5 metro, máximo de 60% da capacidade e medição de temperatura na entrada.

As medidas também preveem que funcionários com comorbidades, acima de 60 anos e aqueles que não tenham quem cuide de seus dependentes no período em que estiverem fechadas as creches, escolas ou abrigos devem continuar no home office.

Também está previsto que os estabelecimentos devem disponibilizar formas de pagamento dos ingressos alternativas como transferência bancária e pagamentos por aproximação, para evitar o contato com o caixa e máquinas de cartão.

A prefeitura ainda indica fazer marcações no piso onde filas podem ser formadas e também em balcões de atendimento, caixas de pagamento e sanitários.

Eventos

Grupos de até seis pessoas —também o número máximo de pessoas por mesa— poderão ficar reunidos. Além disso, organizadores devem instruir o público a chegar aos locais com antecedência de uma hora e a fazer revista apenas com detectores de metais. O uso da máscara só não é obrigatório quando os participantes do evento estiverem sentados.

Museus

As visitas em grupo devem ser limitadas a grupos de até dez pessoas, respeitando as regras de distanciamento.

O protocolo ainda prevê que a montagem das exposições deve ser feita de forma escalonada, a fim de evitar o contato entre diferentes equipes.

Exposições com obras que devem ser apreciadas por meio do toque devem ser evitadas. Se forem montadas mesmo assim, o estabelecimento deve disponibilizar álcool em gel a antes e após o manuseio, que deve ser controlado por um funcionário.

Casas de espetáculo, teatros, circos e similares

Os assentos devem ser intercalados, deixando dois lugares livres entre os espectadores. Apenas quem comprar ingressos em conjunto poderá sentar lado a lado, dentro do limite de seis pessoas por grupo.

No caso de salas de espetáculo com mesas, cadeiras de mesas diferentes, quando ocupadas, devem estar distantes um metro uma da outra. O número máximo por mesa é de seis pessoas.

Já em casas de shows e espaços em que o público fica de pé, devem ser feitas marcações no chão, garantindo a distância de 1,5 metro entre as pessoas. Corredores com espaçamento de dois metros para circulação de pessoas são obrigatórios.

No interior dos estabelecimentos, os clientes só podem consumir alimentos, bebidas e outros produtos se estiverem sentados. Estarão vedados também os intervalos no meio dos espetáculos, bem como sessões de fotos com artistas e a participação do público nas atrações.

Bibliotecas

O atendimento por meio de canais digitais será prioritário e o presencial deve ocorrer apenas quando não houver outra forma de comunicação. Além disso, o tempo de permanência será controlado.

As bibliotecas devem estimular o acesso online de documentos e materiais autorizados, como livros que estão em domínio público, e facilitar a renovação de empréstimo de material por telefone ou plataformas digitais.

Entre as medidas, também é recomendado que os estabelecimentos facilitem o acesso a obras solicitadas nas escolas do entorno, obras que serão utilizadas em vestibulares ou Enem e clássicos de todos os gêneros de literatura brasileira e estrangeira.

Pessoas que integram o grupo de risco devem ter horário de visitação específico e deve ser separado um local de fácil acesso aos materiais de maior circulação, reduzindo o fluxo de pessoas no mesmo espaço.

Além disso, a devolução de obras deve ser encaminhada diretamente a uma área de quarentena pré-determinada por 48 horas.

Cinemas

Os cinemas da cidade poderão funcionar por apenas oito horas diárias durante a fase verde. As salas devem ter a capacidade reduzida a 60%, com um limite máximo de 200 pessoas. Essa restrição é válida para os primeiros 28 dias em que a cidade estiver na fase verde. Em seguida, o limite passa para 500.

Os espectadores devem permanecer sentados a uma distância de pelo menos 1,5 metro entre si. Se for necessário, as poltronas deverão ser intercaladas, de modo a garantir o distanciamento. Pessoas que comprarem o ingresso juntas, como casais e famílias, poderão se sentar mais próximas umas das outras, desde que não seja um grupo maior do que seis indivíduos.

A conferência dos ingressos deverá ser manual ou executada por meio de leitor óptico. Para a venda de produtos em lanchonete, só poderão ser usados cartões ou outros meios eletrônicos de pagamento —ou seja, dinheiro em espécie não poderá ser aceito.

Após o término da sessão, os empregados terão de higienizar poltronas, corrimãos, puxadores de portas ou qualquer outra superfície de contato.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.