Filho de Rita Lee toca hits da mãe que viu serem compostos do sofá de casa

Grupo CeLeeBration, com Beto Lee e baixista do Tutti-Frutti, faz série de shows em que vão dos Mutantes a 'Ovelha Negra'

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Após a boa notícia que divulgou nas redes sociais contando que Rita Lee havia superado um câncer que surgira durante a pandemia, o guitarrista Beto Lee parte agora para uma verdadeira celebração do trabalho de sua mãe.

Trata-se do show CeLeeBration, cuja banda homônima, liderada por Beto, se debruça sobre as dezenas de sucessos que Rita Lee lançou ao longo da vida. A escolha do repertório, aliás, foi a parte mais complicada desse projeto.

"Como você vai sintetizar 55 anos de carreira, mais de 40 hits, em uma hora e meia de show?", pergunta Beto, 45. De fato, segundo o jornalista André Barscinski conta no livro "Pavões Misteriosos – A Explosão da Música Pop no Brasil", de 2014, Rita é a quarta maior vendedora de discos do país, tendo alcançado a marca de 55 milhões de álbuns comercializados.

homem branco cercado por equipamentos de som em estúdio musical
O músico Beto Lee, filho de Rita Lee - Divulgação

"A parte mais difícil foi justamente escolher por que uma música entra e a outra não", diz ele, que após uma seleção inicial de 25 canções, mostrou a lista para seus pais, Rita e Roberto de Carvalho. "Eles fizeram uns ajustes e pronto."

A CeLeeBration estreou este ano, no festival Rock Brasil, que reuniu diversos artistas dos anos 1980 em uma série de fins de semana em São Paulo, Rio e outras capitais. Agora, ganha três datas no Teatro Liberdade, em São Paulo, a partir desta quarta (15).

Mas a banda já está há uma década na cabeça de Beto Lee. "Há uns bons 10 anos comecei a pensar nesse projeto e finalmente colocamos de pé antes da pandemia. Aí tivemos que parar tudo."

Rita e Beto Lee durante show em comemoração dos 450 anos da cidade de SP, no vale do Anhangabaú, em São Paulo, em 2004 - Sérgio Lima/Folhapress

A carreira da artista pode ser dividida em três partes, e a boa notícia é que todas elas estão cobertas nesse setlist. Beto revelou algumas das escolhidas. Da primeira fase, quando ela estreou com Os Mutantes, há "Panis et Circenses", "Top Top" e "Ando Meio Desligado", entre outras.

Entre 1973 e 1978, Rita lançou com a banda Tutti-Frutti quatro discos de rock mais básico, com muita influência dos Rolling Stones. São dessa fase clássicos como "Agora Só Falta Você", "Esse Tal de Rock’n’Roll" e "Jardins da Babilônia". Aliás, o baixista do Tutti-Frutti, Lee Marcucci, está na CeLeeBration. Os vocais de Rita serão cantados por Debora Reis.

Por fim, a partir de 1979, ela e seu novo companheiro Roberto de Carvalho engataram uma série de sucessos muito populares, como "Banho de Espuma", "Chega Mais", "Lança Perfume" e "Mania de Você". O último disco de Rita, hoje aposentada, é de uma década atrás.

Beto Lee, que nasceu em 1977, acompanhou a criação dessas últimas canções do sofá de casa. "Me lembro de tantas músicas sendo feitas", suspira Beto, que promete tocá-las com os arranjos originais, o mais próximo possível das versões gravadas. "Como não tocar o solo de ‘Ovelha Negra’ nota por nota?", questiona.

Quanto à Rita, que hoje mora num sítio no meio do mato em Cotia, na Grande São Paulo, ela "está bem, está em casa, se recuperando muito bem e está super a fim de ver o show ao vivo". Será que ela vem?

CeLeeBration

  • Quando Quartas-feiras (15, 22 e 29), às 21h
  • Onde Teatro Liberdade — r. São Joaquim, 129, Liberdade, São Paulo
  • Preço R$ 70 a R$ 220
  • Classificação 12 anos
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.