Casal Obama estreia em Hollywood com filme sobre declínio da indústria automotiva

'American Factory' conta história de empresa chinesa que assume controle de fábrica abandonada da GM

Jill Serjeant
Los Angeles | Reuters

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama e sua esposa, Michelle, fizeram sua estreia em Hollywood nesta quarta-feira (21) com um documentário produzido na região industrial do Estado de Ohio, e que está sendo classificado pela crítica como convincente e oportuno. 

"American Factory," a história do que aconteceu quando uma empresa chinesa assumiu o controle de uma fábrica abandonada da General Motors, é o primeiro produto resultante da colaboração entre a Netflix e a Higher Ground, produtora formada no ano passado pelo ex-presidente e a ex-primeira-dama. 

Barack e Michelle Obama, em foto de arquivo - Jim Young/AFP

"Uma boa história te dá a chance de melhor entender a vida de outra pessoa. Ela pode te ajudar a encontrar pontos em comum. E é por isso que Michelle e eu nos envolvemos no primeiro filme da Higher Ground", disse Obama em uma publicação no Twitter na quarta-feira.

O documentário segue as vidas de milhares de trabalhadores demitidos de seus empregos na indústria automobilística em Moraine, Ohio, na recessão de 2008. 

Alguns deles foram contratados seis anos depois pela empresa chinesa Fuyao Glass America para fabricar vidros automotivos na mesma fábrica. 

O jornal Washington Post chamou "American Factory", que chegou à Netflix na quarta-feira, de "um veículo perfeito para a missão [da Higher Ground] de trazer histórias de grupos sub-representados". 

"Queremos que as pessoas consigam sair de si mesmas e experimentem e entendam as vidas de outras pessoas", disse Obama aos diretores Julia Reichert e Steven Bognar em um vídeo promocional lançado pelo serviço de streaming.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.