Descrição de chapéu New York Times

Apple vai construir campus de US$ 1 bi e criar cinco mil empregos no Texas

Nos próximos cinco anos, empresa investirá US$ 10 bilhões em novos centros de dados nos EUA

Nova York

A Apple anunciou na quinta-feira que expandiria suas operações em Austin, Texas, com um novo campus de US$ 1 bilhão  (R$ 3,88 bilhões) na parte norte da cidade, e que quase duplicaria a força de trabalho atual de seis mil trabalhadores que mantém na área.

A gigante da tecnologia também disse planejar o estabelecimento de novas unidades, cada qual com mil empregados, em San Diego, Seattle e Culver City (Califórnia), e que contrataria centenas de novos empregados para seus escritórios em Nova York, Pittsburgh e Boulder (Colorado) nos próximos três anos.

O novo campus de 53 hectares no norte de Austin empregará cinco mil trabalhadores, inicialmente, nas áreas de engenharia, pesquisa e desenvolvimento, operações, vendas, e assistência ao consumidor.

O campus no futuro poderá acomodar até 15 mil trabalhadores.

"A Apple se orgulha por levar novos investimentos, empregos e oportunidades a cidades espalhadas pelos Estados Unidos, e por aprofundar significativamente a parceria que mantemos há um quarto de século com o povo e a cidade de Austin", afirmou Tim Cook, o presidente-executivo da Apple, em comunicado.

Greg Abbott, o governador do Texas, disse que a decisão era "prova da força de trabalho de alta qualidade e do ambiente econômico incomparável que o Texas oferece".

A empresa vem mantendo a discrição quanto aos seus planos de expandir instalações, ao contrário da Amazon, que conduziu um concurso de beleza de um ano de duração antes de optar por Nova York e Virgínia para a construção de suas duas novas sedes.

Mas a nova sede da Apple em Cupertino, Califórnia, oferece alguma indicação sobre o que o novo campus deve oferecer, e transformou a área em que foi construída, atraindo novas empresas, elevando os preços dos imóveis e gerando turismo.

A Apple vem tendo um ano de resultados contraditórios, até o momento. Tornou-se a primeira companhia americana de capital aberto a ultrapassar o valor de mercado de US$ 1 trilhão, em agosto, depois de uma sucessão de trimestres notavelmente lucrativos.

Suas ações sofreram um baque em novembro, depois que ela anunciou que deixaria de divulgar o número de unidades de seus iPhones, iPads e Macs vendidas a cada trimestre. Os números sobre volume de vendas são considerados cruciais para compreender como os negócios da Apple estão se saindo.

Tradução de Paulo Migliacci

The New York Times
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.