Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/10/2006 - 22h00

Alckmin só vence Lula em sete Estados

Publicidade

da Folha Online

A divisão regional do eleitorado brasileiro foi menor no segundo turno do que no primeiro. Na eleição de hoje, o candidato tucano, Geraldo Alckmin, conseguiu bater o petista Luiz Inácio Lula da Silva em apenas sete Estados.

No primeiro turno da eleição, Alckmin havia vencido em dez Estados e no Distrito Federal.

O maior reduto "alckmista" continuou a ser a região Sul, onde o tucano venceu nos três Estados tanto no primeiro quanto no segundo turno.

Lalo de Almeida/Folha Imagem
Tucano Geraldo Alckmin e a mulher Lu agradecem os votos na "festa do obrigado" do PSDB
Tucano Geraldo Alckmin e a mulher Lu agradecem os votos na "festa do obrigado" do PSDB


No Centro-Oeste, entretanto, Alckmin perdeu hoje a liderança no Distrito Federal e Goiás que havia conquistado no primeiro turno, mas manteve a vitória em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

No Sudeste, novamente Alckmin só venceu em São Paulo. Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais deram mais votos para Lula.

O petista obteve sua vantagem mais esmagadora no Nordeste, onde venceu em todos os nove Estados, e no Norte, onde só perdeu em Roraima. No primeiro turno o petista tinha perdido também no Acre e Rondônia, mas conseguiu virar o jogo hoje.

No Amazonas, onde obteve quase 87% dos votos válidos, Lula conseguiu sua maior vitória, assim como já havia acontecido no primeiro turno.

Já o maior percentual vitorioso de Alckmin, de 61,5% no Roraima, foi bem menos impactante.

Em relação à eleição de 2002, a principal mudança foi na região Sul, onde Lula havia ganhado do tucano José Serra nos três Estados e agora foi derrotado por Alckmin em toda a região.

Leia mais
  • "Acabou a era Palocci no Brasil", diz Tarso
  • Deputados tucanos criticam estratégia do PSDB e defendem reestruturação
  • Vice de Lula se antecipa e retoma crítica aos juros altos

    Especial
  • Confira o especial sobre as eleições
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página