Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/05/2011 - 20h38

Eliane Cantanhêde: Decisão do Supremo corrige lapso na lei

Publicidade

DE SÃO PAULO

O STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu nesta quinta-feira a equiparação da união homossexual à heterossexual que garante aos casais de pessoas do mesmo sexo o direito a uma união civil estável.

Vitor Angelo: Dia é histórico para todos os defensores dos Direitos Humanos

Eliane Cantanhêde, colunista da Folha, comenta a decisão do Supremo e diz que a votação "corrige um lapso na lei".

Eliane Canthêde

De acordo com ela, "além de ser muito justa, a decisão confirma pela segunda vez novos tempos na alta corte, que passou um período rachada ao meio".

Na prática, esses votos viabilizam, por exemplo, para os homossexuais: pensão, herança e adoção. "Isso parece tão cristalino, tão óbvio, que lembra um pouco a votação do divórcio décadas atrás", quando a opinião pública ficou dividida, diz Cantanhêde.

"Parecia avançadinho demais. Hoje, olhando retrospectivamente, nem fazia sentido aquela discussão", afirma a colunista. Cantanhêde aposta que a votação de hoje será olhada da mesma forma no futuro.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página