Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro diz que governo se preocupa com ambiente e não atrapalha produtor rural

Presidente lançou programa de revitalização do rio Araguaia e defendeu preservação 'casada' com economia

Talita Fernandes
Aragarças (GO)

Em discurso para o lançamento de um programa de revitalização do rio Araguaia, na divisa entre Goiás e Mato Grosso, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira (5) que sua primeira missão "é não atrapalhar quem quer produzir".

"Esse momento da revitalização da bacia do Araguaia, bem como outras que teremos pela frente, é o maior exemplo que podemos dar ao mundo de que somos, sim, preocupados com meio ambiente, mas também perfeitamente casado com a economia, com o que se desenvolve nessa região, com o que o povo precisa e com que o povo quer. E a primeira missão nossa é não atrapalhar quem quer produzir", afirmou.

Bolsonaro viajou para a região de Barra do Garças (MT) acompanhado de um grupo de sete ministros para o lançamento do programa "Juntos pelo Araguaia".

O presidente Jair Bolsonaro no lançamento do Projeto Juntos pelo Araguaia, em Aragarças - GO
O presidente Jair Bolsonaro no lançamento do Projeto Juntos pelo Araguaia, em Aragarças - GO - Alan Santos/PR

Durante a cerimônia no Dia Mundial do Meio Ambiente, ele assinou com os governadores Ronaldo Caiado (Goiás) e Mauro Mendes (Mato Grosso) um protocolo de intenções para revitalização da bacia hidrográfica na região.

Além desse documento, seis dos 22 ministros de estado e secretários de Goiás e Mato Grosso firmaram um acordo de até 42 meses para elaboração de um estudo para recuperação da área. 

O texto diz que o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), ligado ao Ministério do Meio Ambiente, vai repassar ao projeto a conversão de multas de até R$ 100 milhões. O governo não explicou como será feita essa transferência.

De acordo com o ministro Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional), um dos signatários do acordo, a União disponibilizou de imediato R$ 2,8 milhões para os estados de Goiás e Mato Grosso darem início aos estudos. O valor, disse o ministro, poderá ser repassado por meio de universidades. 

"Vamos deixar claro que estão separados R$ 2,8 milhões. Já é concreto para elaborar o estudo do programa. É uma atitude real", disse.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o Brasil já não quer mais discurso de que o agronegócio é contrário à preservação ambiental.

"O brasileiro cansou desse discurso do agro contra o meio ambiente. Nós brasileiros precisamos de meio ambiente equilibrado", disse. "O setor agro tem dado lições para todo mundo de como produzir, em larga escala, com qualidade e cuidado ao meio ambiente."

Ele voltou a ainda a dizer que organizações internacionais e outros países querem ditar a forma como o Brasil deve preservar o meio ambiente.

Tanto ele quanto Caiado disseram que a zona rural acaba sendo culpado pela degradação do meio ambiente, mas que as responsáveis são áreas urbanas.

"Não é o campo que gera problemas ambientais para o Brasil, são as cidades. A agenda de qualidade ambiental urbana é a verdadeira responsável por resolver os problemas ambientais do Brasil", disse.

Caiado disse que em seu governo não existe "política de demonizar quem sustenta essa nação, que são os produtores rurais", afirmou. "Cobram o produtor rural e, no entanto, o que as cidades estão fazendo pelo meio ambiente?"

O cantor Chitãozinho, da dupla Chitãozinho & Xororó, participou da cerimônia após ter sido nomeado por Caiado, no fim de maio, "embaixador do Araguaia".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.