Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
27/12/2010 - 14h04

Colapso do sistema de defesa da BP causou vazamento, diz "NYT"

Publicidade

DA FRANCE PRESSE

A explosão ocorrida em 20 de abril na plataforma de petróleo no golfo de México, que causou o pior desastre ambiental da história dos Estados Unidos, aconteceu devido a um colapso de todos os sistemas de defesa do complexo da BP, informou no domingo o jornal "The New York Times".

O jornal, que realizou sua própria investigação da explosão que matou 11 trabalhadores, disse que algumas das defesas da plataforma de águas profundas foram acionadas, mas não funcionaram, outras foram ativadas demasiadamente tarde e algumas sequer foram ativadas.

Faltou à BP competência e responsabilidade no vazamento de óleo, diz relatório
Ex-presidente diz que BP lidava com vazamento sem estar preparada
Empresa admite não ter feito teste crucial em cimento em poço nos EUA

As comunicações caíram, os sinais de alerta não foram ativados e os membros da tripulação nas áreas críticas não coordenaram uma resposta, segundo o relatório. O resultado foi a paralisia total, enfatizou o jornal.

Durante nove minutos, uma equipe tentou combater o fogo originado da explosão que ocorreu na plataforma de águas profundas, mas não avisou ao resto da tripulação.

A tripulação e os diretores também não ativaram o alarme para evacuar o lugar, e para várias das pessoas que estavam a bordo o primeiro sinal de desastre foi a onda expansiva da explosão.

A investigação do jornal foi publicada quase duas semanas depois que os Estados Unidos apresentaram uma ação contra a BP e outras oito empresas pelos danos causados pelo desastre.

Outros investigadores já revelaram detalhes sobre o desastre, mas na maioria se focaram na causa da explosão e nos danos causados ao ambiente.

A investigação do Times se centra nas horas finais da plataforma Deepwater Horizon. O jornal entrevistou 21 membros da tripulação e recolheu testemunho de outros 94 sobreviventes.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página