Siga a folha

Alemães farão projeto piloto com renda básica de quase R$ 8.000 mensais

Pagamento deverá ser feito durante três anos para ao menos 122 pessoas

Continue lendo com acesso ilimitado.
Aproveite esta oferta especial:

1 ANO DE DESCONTO

3 meses por R$1,90

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

ASSINE A FOLHA

Cancele quando quiser

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas.
Apoie o jornalismo profissional.

São Paulo

Pesquisadores alemães anunciaram que irão realizar um projeto piloto de renda básica no valor de € 1.200 (R$ 7.956) mensais, com pelo menos 122 pessoas durante três anos.

O projeto, encabeçado pela associação Mein Grundeinkommen (Minha Renda Básica, em alemão) e pelo Instituto Alemão de Pesquisa Econômica (DIW Berlin), tem o objetivo de descobrir se um pagamento incondicional mensal de uma quantia em dinheiro traz mudanças significativas nos comportamentos e sentimentos dos beneficiários.

"Queremos saber até que ponto esse fluxo regular e incondicional de dinheiro afeta as atitudes e o comportamento das pessoas em áreas relevantes da vida", disse o pesquisador do DIW, que deve comandar o estudo, Jürgen Schupp, à revista alemã Der Spiegel.

"Por exemplo, como muda a vida profissional, a estrutura diária, o compromisso, a alimentação ou os relacionamentos? E como isso difere dependendo da idade, área de residência, outras rendas e assim por diante."

Projeto alemão de renda básica paga R$ 8.000 mensais - Reprodução

De acordo com a proposta do instituto, no total devem participar do projeto 1.500 pessoas, mas só algumas irão receber o benefício, que será financiado por pessoas físicas.

A proposta inicial era que 140 mil pessoas pagassem o valor mensal para 120 candidatos, durante os três anos, enquanto os outros 1.380 participantes serviriam como base de comparação. Todos terão que responder a um questionário regularmente.

Desde o lançamento do projeto, na terça-feira (18), o número de financiadores cresceu, e na noite deste sábado (22), contava com 147,8 mil pagadores, aumentanto também o número de beneficiários para 122. Por enquanto, 1,35 milhão de pessoas já se inscreveram para participar do estudo.

"Enquanto os partidos políticos ainda estão hesitantes sobre a renda básica, a sociedade faz, há algum tempo, ela virar realidade", diz o instituto no documento de apresentação da pesquisa.

Se o projeto mostrar efeitos, o estudo deverá ter uma segunda fase, em 2022 e 2023. Além da associação e do DIW, também participam do trabalho cientistas do Instituto Max Planck e da Universidade de Colônia.

Para participar, é preciso ter pelo menos 18 anos e residência principal na Alemanha. O pagamento da renda básica começará a ser feito na primavera de 2021 na Alemanha (outono no Brasil). Será permitida a participação de todas as pessoas, sendo indiferente se o candidato tem emprego ou não, ou se tem remuneração baixa ou alta.

As inscrições começaram na terça-feira e se estendem até o dia 10 de novembro. Quem tiver interesse em participar ou em financiar o projeto deve entrar no site do projeto do programa www.pilotprojekt-grundeinkommen.de.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas