Siga a folha

Críticas a modelo hidrelétrico são infundadas, diz Bolsonaro no Paraná

Em inauguração de central hidrelétrica, presidente não comenta apagão no Amapá

Você atingiu seu limite de matérias livres

Assine e tenha acesso Ilimitado

– OFERTA ESPECIAL – 1 ANO DE DESCONTO –

Cancele quando quiser

R$ 1,90 POR 3 MESES

+ 9 de R$ 19,90 R$ 9,90

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas. Apoie o jornalismo profissional.

Isadora Stentzler
Renascença (PR)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que críticas à matriz elétrica brasileira, calcada na energia de hidrelétricas –responsáveis por 61% da geração–, são "infundadas".

“O nosso Brasil tem, nessa área, o que os outros países não têm. Ninguém, no mundo, eu desconheço, tem fontes de energias limpas como nós temos. Pega os países mais críticos a nós, que precisam da União Europeia. Essas críticas são completamente infundadas”, afirmou Bolsonaro nesta sexta-feira (6) em Renascença, no Paraná.

Ele se referia a uma fala anterior do governador do Paraná, Ratinho Jr., para quem existem ONG (Organizações Não Governamentais) que criticam o modelo brasileiro de energia a base de hidrelétricas.

Ambos estiveram em Renascença para a inauguração de uma PCH (Pequena Central Hidrelétrica) construída com recursos do BNDES.

Presidente Jair Bolsonaro participou, em Piranhas (AL), na quinta-feira (5) - Alan Santos/PR

“Aí você vê alguns países querendo crucificar o Brasil porque investe em energia limpa através de PCH", disse Ratinho Jr.

"Vejo uma força de ONGs internacionais que são bancadas por empresas alemãs. A Alemanha produz aqueles cata-ventos de energia eólica. Eles querem que invistam em energia de cata-vento”, concluiu o governador, para quem o modelo brasileiro “é o mais correto do mundo todo”.

Sem citar quais mudanças são necessárias, Bolsonaro voltou a dizer que é preciso alterar a legislação para acelerar concessões ambientais na construção de obras de infraestrutura.

“[É necessário] propor uma legislação, de modo que possamos sim, sermos bastante rápidos e eficientes para a liberação dessas concessões ambientais”, dissse, afirmando ainda que o Brasil é o país “que mais preserva o meio ambiente no mundo”.

Na noite de quinta-feira (5), ele já havia falado do tema durante uma live pelas redes sociais. "Essas PCH eram complicadíssimas, as suas licenças. (...) O almirante Bento [Albuquerque], que é ministro de Minas e Energia, já desburocratizou bastante, vai desburocratizar mais ainda. De vez em quando pega questão de licença ambiental, mas o nosso ministro do Meio Ambiente, com o nosso Ricardo Salles, tá funcionando muito bem. Tá certo? Então tudo tá sendo agilizado”.

Antes da inauguração da obra, Bolsonaro soltou filhotes de peixes no lago da PCH e plantou uma araucária, símbolo do estado do Paraná. Bolsonaro ainda afirmou que a área seria capaz de geral de “de 10 a 15 toneladas de tilápia”. “Com esta produção não pode falar que o Brasil não tem como gerar alimento para seu povo”, disse.

O presidente fez menção ao apagão no Amapá, que desde terça-feira sofre sem energia. O ministro de minas Energia, Bento Albuquerque, que havia sido anunciado para o evento, não compareceu.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas