Norte de Botsuana foi lar ancestral do homem moderno, afirma estudo

Trabalho aponta o lar ancestral do Homo sapiens sapiens no que é hoje o deserto de Kalahari

Paris | AFP

O berço do homem moderno foi uma região no norte da atual Botsuana, há cerca de 200 mil anos, segundo um estudo publicado na revista Nature na segunda (28). 

A pesquisa afirma ter encontrado pela primeira vez o lar ancestral do Homo sapiens sapiens no que é hoje o deserto de Kalahari —na época, uma savana exuberante.

"Sabemos há algum tempo que o homem moderno apareceu na África há aproximadamente 200 mil anos. Mas até agora não sabíamos exatamente onde", declarou a geneticista Vanessa Hayes, autora principal do trabalho.

A equipe de pesquisadores baseou o trabalho na genealogia genética, que permite rastrear os modelos de migração. O grupo analisou 200 genomas mitocondriais, marcadores genéticos da genealogia materna, extraídos de populações que atualmente vivem na Namíbia e na África do Sul, em uma região do continente há muito considerada um dos berços do homem moderno.

Os testes de DNA revelaram a presença rara da linhagem genética materna mais antiga, L0, que ainda é conservada nessas populações. "Olhando para isso, nos perguntamos de onde essas pessoas vieram e onde elas moravam. Depois, estudamos a dispersão geográfica dessa linhagem", disse Hayes. "Fizemos análises espaciais para 'voltar no tempo', pois toda vez que ocorre uma migração ela é registrada em nosso DNA, que muda."

Deserto Kalahari, que há 200 mil anos foi uma savana exuberante - Adobe Stock

Ao comparar os genomas, os pesquisadores isolaram como ancestral comum uma população khoisan, povo caçador-coletor que existe ainda hoje. Segundo o estudo, todos os humanos que vivem atualmente compartilham o mesmo ancestral. "Acredito que todos nós fomos khoisan em algum momento", disse Hayes.

Esses khoisan, que formaram a primeira comunidade humana moderna, viveram na mesma região por 70 mil anos, sem se mover. Seu genoma permaneceu idêntico de 200 mil anos a 130 mil anos atrás.
O grupo prosperou nessa região, localizada ao sul do rio Zambeze, no norte da atual Botsuana. Hoje deserto, o Kalahari era na época úmido, verde e exuberante. 

Análises geológicas, combinadas com modelos climáticos, mostraram que ali havia um enorme lago que desapareceu. A região secou gradualmente e as populações começaram a migrar através de corredores verdes. Essas primeiras saídas abriram o caminho para a futura migração de homens modernos fora da África. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.