Com retorno dos voos espaciais nos EUA, astronautas dão dicas para lidar com isolamento

Americanos se preparam para o primeiro lançamento tripulado saindo de solo americano desde 2011

São Paulo

Se você tem sofrido para praticar isolamento social em meio à pandemia, imagine os astronautas, que fazem disto um modo de vida? Para Bob Behnken e Doug Hurley, o isolamento total — até de quem mora com eles —começou agora, três semanas antes de seu lançamento rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), onde devem passar os próximos meses distantes de tudo e todos na Terra.

É mais um dos muitos desafios psicológicos que viajantes espaciais enfrentam, tornado ainda mais delicado durante a crise sanitária. O voo deles está marcado para o dia 27 de maio, a partir do Centro Espacial Kennedy, na Flórida, e será o primeiro lançamento tripulado iniciado em solo americano desde a aposentadoria dos ônibus espaciais, em 2011. Já seria histórico de todo modo, mas as preparações em meio ao surto do novo coronavírus tornaram tudo ainda mais complicado.

Enquanto as preparações prosseguem, astronautas têm compartilhado dicas sobre como lidar melhor com o isolamento social. Não é incomum que tripulantes da Estação Espacial Internacional passem seis meses ininterruptos no espaço equivalente a um apartamento, sem sequer a possibilidade de abrir as janelas. Entre 2015 e 2016, o astronauta Scott Kelly e o cosmonauta Mikhail Kornienko passaram um ano inteiro em órbita.

Cinco habilidades

"Vinte anos vivendo e trabalhando com sucesso na Estação Espacial Internacional não aconteceram por acaso", diz a astronauta Anne McClain, prefaciando a apresentação do que os astronautas da Nasa chamam de "comportamentos expedicionários". É um conjunto de cinco habilidades que facilitam a dinâmica entre um pequeno grupo de pessoas vivendo juntas. "Eles são parte de tudo que fazemos", diz McClain.

A habilidade 1 é "comunicação". Segundo McClain, é falar de modo a ser claramente compreendido. Ouvir e questionar para entender. Escutar ativamente, pegar sinais não verbais. Identificar, discutir e resolver conflitos. Para praticá-la, a astronauta sugere compartilhar informações e sentimentos livremente. Falar de intenções antes de agir. Discutir quando suas ações ou as de outro não foram as esperadas. Avaliar após sucesso ou conflito. Ouvir, então reapresentar a mensagem, para se certificar de que foi entendida. Admitir quando errou.

A habilidade 2 é "liderança/seguimento", definida como quão bem uma equipe se adapta a situações novas, estabelecendo um ambiente de confiança. As dicas que ela dá: aceite responsabilidade. Ajuste o estilo ao ambiente. Distribua tarefas, estabeleça metas. Lidere pelo exemplo. Dê direção, informações, comentários, mentoria e encorajamento. Certifique-se de que os membros da equipe têm recursos. Fale quando algo não está certo. Faça perguntas. Ofereça soluções, não só problemas.

A habilidade 3 é "autocuidado": quão bem você está mantendo seus níveis psicológico e físico, o que inclui higiene, manutenção do tempo e atividades pessoais, sono e manutenção do humor. A habilidade e disposição para ser proativo e permanecer saudável. E isso passa por avaliar de forma realista suas próprias forças e fraquezas, além de sua influência no grupo. Aprender com os erros, ser sociável, buscar comentários, equilibrar trabalho, descanso e tempo pessoal. Manter a organização.

A habilidade 4 é "cuidado com a equipe", quão saudável o grupo está em termos psicológicos, físicos e logísticos. Controlar estresse de grupo, fadiga, doença, suprimentos, recursos, carga de trabalho etc. Nutrir o melhor desempenho da equipe a despeito dos desafios. Para isso, é bom demonstrar paciência e respeito, prestar atenção a sinais de estresse e fadiga nos outros, desenvolver relações positivas, voluntariar-se para tarefas desagradáveis. Dividir o crédito, assumir a culpa.

Por fim, a habilidade 5 é "convivência em grupo", definida por como as pessoas cooperam e se tornam uma equipe a fim de atingir uma meta. Identificar e gerenciar opiniões, culturas, percepções, habilidades e personalidades diferentes. Aqui é importante cooperar, em vez de competir. Cultivar ativamente cultura de grupo (usar a cultura do indivíduo para construir o todo). Respeitar papéis, responsabilidades e carga de trabalho. Assumir responsabilidade, elogiar livremente. Trabalhar para garantir uma atitude positiva da equipe. Manter a calma em conflitos.

Em imagem de 2015, o astronauta japonês Kimiya Yui com os astronautas da Nasa Kjell Lindgren e Scott Kelly comem alface cultivada no espaço
Em imagem de 2015, o astronauta japonês Kimiya Yui e os astronautas da Nasa Kjell Lindgren e Scott Kelly comem alface cultivada no espaço - AFP

As dicas de McClain são todas ótimas, claro. Mas talvez você precise de algo menos "astronautiquês". Nesse caso, os conselhos vêm de Jack Stuster, pesquisador que vem estudando o comportamento humano em missões de exploração de longa duração, desde simulações de viagens a Marte a expedições polares, passando pela ISS.

“Minha recomendação primária é que as pessoas vejam a quarentena como uma oportunidade, em vez de um obstáculo”, diz Stuster. Para o pesquisador, é uma boa ideia tirar a poeira daqueles projetos e objetivos que você tem colocado de lado há anos porque “nunca tem tempo”. Pode ser pintar a casa, fazer jardinagem, efetuar reparos, ler um livro. E é sempre bom fazer com que a atividade seja em grupo, tanto quanto possível (naturalmente, apenas entre as pessoas confinadas com você).

Também é uma boa ideia promover jogos de cartas e de tabuleiro em família. Mas Stuster alerta que Banco Imobiliário (Monopoly) e War (Risk) tendem a ser escolhas perigosas. “Risk, em particular, causou tamanha divisão durante uma simulação militar que eu dirigi em 1989 que o grupo baniu o jogo”, conta.

Para quem não tem com quem jogar em casa, uma partida de xadrez remota, talvez até num tabuleiro real (com lances comunicados por email ou aplicativos de mensagens, como jogam os astronautas na ISS) é opção.

O isolamento também é um bom momento para entrar em contato com amigos e parentes e saber como eles vão, mantendo não só a sua saúde mental, mas também a deles. Stuster sugere fortemente que famílias façam pelo menos uma refeição ao dia juntas. “Talvez até preparando a refeição juntas.” E ressalta a importância de marcar a passagem do tempo, talvez realizando refeições especiais para comemorar eventos.

Além dos tradicionais feriados e aniversários, ele sugere celebrar aniversários de pessoas famosas e eventos a cada sábado. “A equipe do explorador Fridtjof Nansen se voltou para seu almanaque em busca de sugestões, quando esgotaram a lista de aniversários e feriados noruegueses”, conta Stuster.

“Todas essas sugestões foram usadas por exploradores no passado para lidar com seus períodos de isolamento e confinamento”, diz Stuster. “E, como meu explorador favorito, Nansen, já disse: ‘Somos realmente todos exploradores, cada um procurando seu próprio caminho através da vida’.” Bom isolamento para todos nós.

Uma lista de boas ações

Uma síntese das lições aprendidas pelo pesquisador Jack Stuster, que estudou comportamento humano para a Nasa

Ações de grupo e atitudes que cultivam ajuste e solidariedade:

  • Sua maior meta deve ser se dar bem com os outros
  • Crie uma agenda, mas tudo bem dormir mais. Sono é bom
  • Faça refeições em grupo (jantar é especialmente importante para famílias)
  • Conduza atividades de diversão em grupo (jogos de cartas e tabuleiro, filmes)
  • Respeite a necessidade alheia por privacidade/espaço pessoal (tudo bem se alguém quiser ficar sozinho um pouco)
  • Monitore e seja sensível ao estado mental dos outros e aja decisivamente para manter as relações e a saúde comportamental

Comportamentos individuais específicos que cultivam ajuste e solidariedade de grupo:

  • Seja polido e respeitoso
  • Evite temas controversos
  • Não pratique humor de ridicularização
  • Faça mais que sua parte em tarefas comunitárias
  • Considere as possíveis consequências antes de dizer ou fazer qualquer coisa
  • Tente conscientemente ser animado e apoiador de seus colegas
  • Tenha consideração; mais que isso, tente evitar ser irritante
  • Faça uma lista de tarefas a realizar durante o confinamento; riscar realizações fornece resultados tangíveis e ajuda a marcar a passagem do tempo

E pequenas coisas como:

  • Não deixe seus itens jogados por aí
  • Limpe tudo depois de usar a cozinha, banheiro, áreas comuns ou área de trabalho
  • Devolve itens às prateleiras e gavetas com as etiquetas voltadas para fora
  • Substitua rolos de papel higiênico esgotados e (para homens) baixe o assento da privada após usar o banheiro
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.