Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Justiça aceita denúncia contra homem que atropelou 18 no Rio

Ele vai responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

São Paulo | UOL

A Justiça do Rio aceitou a denúncia contra Antônio de Almeida Anaquim, que atropelou 18 pessoas, matando duas, entre elas um bebê de oito meses, em janeiro deste ano, na Praia de Copacabana, depois de atravessar a ciclovia. Ele vai responder por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal culposa.

Além do bebê, o motorista também provocou a morte do australiano Christopher John Gott, 63. Ele, que teve seu paradeiro revelado pelo acidente, era considerado foragido pela Justiça australiana por crimes de pedofilia. 

Na decisão, a juíza Alessandra de Araújo Bilac, da 40ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça, disse que "é certo que o denunciado agiu de forma negligente".

"A despeito de estar plenamente ciente de seus problemas neurológicos decorrentes do quadro clínico de epilepsia de que é portador, e estando em tratamento médico desde a adolescência para evitar os recorrentes 'apagões', mesmo assim negou tal fato quando renovou de sua carteira de habilitação, deixando de se submeter a procedimento mais criteriosos no Detran [Departamento de Trânsito]", escreveu.

Anaquim agora será citado e deverá apresentar defesa no prazo de 10 dias. Ele já responde a processo criminal por falsidade ideológica.

Segundo a Justiça, ele virou réu por ter mentido ao Detran do Rio ao dizer que não sofria de epilepsia para renovar sua carteira de habilitação. Anaquim continuava dirigindo o carro mesmo depois que o órgão suspendeu sua licença para dirigir, em novembro de 2014. 

Ainda em janeiro deste ano, a Justiça do Rio determinou o recolhimento do passaporte de Anaquim. A determinação atendeu a um pedido da Polícia Civil que, durante as investigações, apurou a intenção dele em deixar o país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.