Descrição de chapéu Alalaô

Pós-Carnaval tem megablocos e trios em São Paulo e no Rio

Multidão seguiu artistas como Daniela Mercury no último fim de semana da folia

São Paulo e Rio de Janeiro

​A Quarta-Feira de Cinzas já passou, mas quem saiu neste fim de semana às ruas de São Paulo (com milhares de pessoas nos shows de Claudia Leitte, Daniela Mercury e Preta Gil) ou do Rio (com Anitta e Monobloco), podia jurar que o Carnaval continuava a todo vapor.

Ao todo, 136 blocos estavam cadastrados para desfilar na capital paulista neste sábado (9) e domingo (10). A estimativa da prefeitura é de que, do pré ao pós-Carnaval, 5 milhões de foliões tenham ido às ruas na festa de São Paulo.

No sábado, os destaques foram para os conterrâneos Claudia Leitte, Bell Marques e a banda Baiana System, que fizeram os paulistanos chacoalharem com os ritmos de Salvador em diferentes pontos da cidade. Um forte temporal que caiu por volta das 17h encerrou a festa.

No domingo, mais megablocos em importantes vias da cidade: foi a vez de Daniela Mercury, Molejo e Preta Gil, além dos cariocas da Orquestra Voadora.

"Quem veio de rosa e azul hoje?", gritou Daniela Mercury (em referência à polêmica fala da ministra da Família, Damares Alves) para os foliões, que desciam a avenida da Consolação em direção ao centro e foram ao delírio. A cantora emendou clássicos como "O Canto da Cidade" e apostas como "Banzeiro", seu hit de Carnaval.

O baiano Pierre Santos, 25, não quis perder o último dia de folia. "Conheço a Dani, amo ela, não podia perder a oportunidade de ver a rainha."

Foliões aproveitavam qualquer cantinho escondido para usar como banheiro. Entre a estação Paulista do metrô e a rua Maceió, trecho que o bloco Pipoca da Rainha percorreu, não havia nenhum banheiro químico para o público.

Na avenida Faria Lima, na zona oeste, o clima do bloco Não Era Amor Era Cilada era de micareta. Durante cerca de três horas, a banda Molejo tocou um repertório eclético, dos hits "Dança da Vassoura" e "Vou Voltar pra Sacanagem" a interpretações de Guns N' Roses e de Bob Marley.

O centro foi tomado pela grande Orquestra Voadora --o grupo carioca tem 200 integrantes, de músicos a malabaristas e equilibristas. Pela terceira vez em São Paulo, o grupo percorreu cartões postais como a avenida Ipiranga e a São Luís, até terminar em frente ao Teatro Municipal. Recheado de manifestações políticas, levantou faixas em homenagem a Marielle Franco e às vítimas da tragédia da Vale em Brumadinho (MG).

Também ativista foi o Bloco da Preta, no Ibirapuera, puxado por Preta Gil. Para começar o desfile, a cantora pediu para todos levantarem as mãos e gritarem não à homofobia. O público atendeu ao som da canção "Sinais de Fogo".

Preta Gil estreia no Carnaval de São Paulo com o Bloco da Preta, no Parque do Ibirapuera
Preta Gil estreia no Carnaval de São Paulo com o Bloco da Preta, no Parque do Ibirapuera - Diego Padgurschi/UOL

Segundo a cantora Lexa, que também deveria ter se apresentado na folia em São Paulo, o trio que tocaria com ela não apareceu. No fim, a artista cantou junto de Preta Gil, que ofereceu espaço em seu trio em solidariedade.

A Prefeitura de São Paulo acomodou megablocos em grandes avenidas como a Tiradentes e a Marquês de São Vicente, no lugar da 23 de Maio, que desagradou blocos e foliões no ano passado.

A escolha também frustrou algumas pessoas neste ano. O acesso aos blocos só acontecia pelas pontas das avenidas e as laterais eram fechadas com grades e placas de metal. 

Isso dificultava o escoamento de pessoas, como quando começou o forte temporal no fim da tarde de sábado, em que multidões saíram correndo em busca de algum teto.

O dia foi cheio também em furtos de celulares. Só no sábado, no centro de São Paulo, a Polícia Civil prendeu sete pessoas por furto de celular e recuperou 64 aparelhos --com apenas um grupo de três pessoas foram encontrados 42 celulares.

Do lado carioca, o fim de semana também foi de festa. A estimativa da Riotur, empresa municipal de turismo do Rio, é de que 7 milhões de pessoas tenham curtido o carnaval da capital fluminense.

No sábado, o destaque foi para o Bloco das Poderosas, comandado por Anitta, que, sozinho, levou 420 mil pessoas ao centro do Rio, segundo a Riotur. O tema da festa foi "Vale a Pena Ver de Novo", e o público foi às ruas com fantasias que relembravam clássicos da televisão brasileira.

No domingo, 14 blocos desfilaram pela cidade. O maior deles foi o Monobloco, que desfilou no centro. O tema oficial foi "Abram alas pra elas --homenagem às mulheres da música brasileira". A bateria teve maioria feminina --114 dos 190 ritmistas eram mulheres. 

O grupo comandado pelo cantor Pedro Luís toca clássicos da música brasileira, do forró ao frevo, da MPB ao samba, e tem neste ano como rainha da bateria a cantora Thaís Macedo. Foi o 19º Carnaval do Monobloco. O cortejo foi encerrado uma hora antes do previsto, após acordo com a polícia.

O Carnaval trouxe mais turistas ao Rio em 2019 --chegou a 1,62 milhão de visitantes, crescimento de 8% em relação a 2018, quando o Rio recebeu 1,5 milhão de turistas.

Thiago Amâncio, Amanda Lemos , Mariana Zylberkan e Sérgio Rangel
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.