Covas prevê acelerar regulamentação da patinete e ampliar equipes de zeladoria em SP

Em entrevista, prefeito de SP reconheceu que a zeladoria enfrentou entraves burocráticos

São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse nesta sexta-feira (10), que vai acelerar a regulamentação das patinetes, aumentar a circulação da frota de ônibus com ar-condicionado e ampliar as equipes de zeladoria, um dos problemas de sua gestão.

Segundo Covas, a patinete é mais um meio de transporte que entrou na disputa pelo espaço viário da cidade. O prefeito reconheceu que a grande dificuldade é regulamentar o equipamento, que já vem provocando acidentes.

“Em janeiro, criamos um grupo de trabalho para regulamentar [a patinete]. Só que por conta dos acidentes, resolvemos acelerar e criar uma regulamentação provisória. Mas temos que ter cuidado porque tudo o que é feito em São Paulo acaba sendo replicado por outras cidades”, afirmou em entrevista à rádio Jovem Pan.

Para o prefeito, as regras vão contemplar onde as patinetes poderão circular, o limite máximo de velocidade permitida e se as ciclovias também poderão ser usadas pelos condutores do equipamento.

Sobre a existência de poucos ônibus com ar-condicionado na capital, Covas afirmou que os novos contratos trarão mais mecanismos de controle do serviço que é oferecido à população. “Se as empresas forem mal avaliadas na pesquisa de satisfação do usuário, elas vão receber menos da prefeitura.”

Covas afirmou que, no momento, São Paulo possui pouco mais de 20% da frota com ar-condicionado e que esse índice vai crescer ao longo dos anos. “Os novos contratos exigem que elas [empresas] comprem novos ônibus com ar-condicionado”, disse.

O prefeito reconheceu na entrevista que um dos maiores problemas de sua gestão está na área da zeladoria de ruas, avenidas, córregos e galerias. “Nós tivemos problemas na renovação de contratos e a usina que produzia asfalto foi fechada”, contou.

Para o prefeito, o serviço não está às moscas. Ele reforçou que vai investir R$ 1,5 bilhão no setor —o triplo do valor aplicado entre 2017 e 2018 —, e que já ampliou as equipes de limpeza em várias frentes.

A equipe de tapa-buracos saltou de 60 para 90. A de poda de árvores, de 40 para 100, e a de limpeza de córregos e galerias, de 30 para 57, enumerou.

Ele também se comprometeu a recapear os 38 mil buracos apontados pela população no serviço 156, mas reconheceu que a medida é emergencial. “São Paulo tem 17 mil km de vias. É necessário um investimento de 20 anos para melhorar isso”, afirmou.

Covas também disse que espera terminar sua gestão com nenhuma criança na fila por uma creche. O tucano afirmou que assumiu a prefeitura com 65 mil crianças sem o serviço. De 1º de janeiro de 2017 até agora, ele afirmou que foram criadas 50 mil novas vagas, e que a demanda por creche ainda mantém 20 mil crianças na espera. “A nossa meta é criar mais 35 mil vagas em creches entre 2019 e 2020.”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.