Sobe para 34 o número de mortos com chuvas em Minas Gerais

No estado, 2.620 pessoas estão desalojadas e 911 estão desabrigadas

Desabamento de uma casa na Vila Ideal , bairro Durval de Bairros , em Ibirité, na região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta sexta-feira (24); pelo menos duas pessoas morreram - Uarlen Valerio / O Tempo
Salvador

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais encontrou mais quatro vítimas não identificadas em Belo Horizonte, na noite deste sábado (25), levando o total de mortos pelas chuvas no estado a 34. 

Em boletim divulgado às 18h30 deste sábado, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil confirmou 30 mortos em Minas desde sexta-feira (24), bem como sete pessoas feridas e 17 desaparecidas. Ao todo, 2.620 pessoas estão desalojadas e 911 desabrigadas.

Não há informações sobre se as últimas vítimas localizadas pelos bombeiros estavam entre as 17 desaparecidas.

O governo mineiro ainda não deu detalhes sobre quem são e em quais cidades foram encontradas os mortos.

No início da manhã deste sábado, foram confirmadas duas mortes na capital mineira, quatro em Betim e quatro em Ibirité. Também houve uma morte em Matipó e uma em Manhuaçu, municípios da Zona da Mata.

Em Belo Horizonte, as mortes aconteceram na Vila Bernadete, em uma região conhecida como Barreiro, após um deslizamento ter soterrado cinco casas no início da noite desta sexta-feira. Os bombeiros trabalham nas buscas de novas vítimas na região, onde foram registrados cinco desaparecidos.

As chuvas também causaram transtornos na capital mineira. A força da água fez bueiros estourarem na Avenida dos Andradas, causando um efeito chafariz. Por baixo do concreto corre o leito do rio das Arrudas.

Em Ibirité, que fica na região metropolitana de Belo Horizonte, quatro pessoas morreram após deslizamento de uma encosta.

Três vítimas foram identificadas pelo Corpo de Bombeiros: uma mulher adulta, um menino de seis anos e um bebê de cerca de seis meses — a mulher era mãe do bebê e foi achada com ele nos braços.

Em Betim, também na Grande BH, um deslizamento atingiu duas casas, matando três adultos e uma criança. Em uma das casas, um homem estava sozinho. Na outra, havia um casal e o filho.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, 36 cidades mineiras registram danos por causa das chuvas.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o índice pluviométrico registrado entre 9h desta quinta-feira (23) e 9h desta sexta-feira (24) chegou a 178,8 milímetros. É o maior registro na história da capital mineira em um século de medições.

Belo Horizonte e a região metropolitana da capital registraram acumulado entre 240 mm e 250 mm de chuva em janeiro, segundo o Instituto Mineiro de Gestão de Águas. 

De acordo com a Defesa Civil de Belo Horizonte, a previsão meteorológica para este sábado (25) indica que o dia será de céu encoberto com chuvas a qualquer hora do dia e o acumulado pluviométrico deve ser abaixo de 50 milímetros.

Na cidade de Rio Piracicaba (a 127 km de Belo Horizonte), a água das chuvas inundou as celas e os corredores de um presídio feminino na sexta-feira. A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública informou que transferiu detentas do presídio para outras unidades penitenciárias da região.

Colaborou o UOL

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.