Descrição de chapéu Coronavírus Rio de Janeiro

Crivella suspende alvará de eventos, aulas, férias do pessoal da saúde e fecha centros culturais

Atividades dos equipamentos culturais, como teatros, museus e cinemas, também estão suspensos

Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta sexta (13) uma série de medidas para o enfrentamento do surto de coronavirus.

As aulas da rede municipal carioca serão suspensas a partir de segunda (16), mas os refeitórios serão abertos para almoço.

Os eventos que causem aglomerações de pessoas não terão alvará de prefeitura e os que já estavam aprovados e acontecem a partir de segunda (16) terão os alvarás suspensos.

As atividades dos equipamentos culturais da cidade, como teatros, museus e cinemas, também estão suspensos a partir de segunda, assim como as visitas a casas de abrigos de idosos municipais.

A prefeitura também decidiu suspender as férias de funcionários da saúde e da assistência social.

A prefeitura diz ainda estar conversando com sindicatos e associações de indústria, comércio e serviços para que façam turnos alternativos, contribuindo para que os transportes públicos não tenham superlotação.

O anúncio feito nesta sexta na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, de onde o prefeito do Rio de Janeiro tem despachado com frequência, contou ainda com uma série de recomendações da prefeitura.

Entre elas, que pessoas evitem se cumprimentar dando as mãos, beijos e abraços, e que as que tenham baixa imunidade e idosos evitem sair de casa.

Recomendou-se ainda que os eventos esportivos do Engenhão aconteçam sem público.

Em decreto desta quinta (12), Crivella havia regulamentado em âmbito municipal a lei federal 13.979, permitindo, entre outras coisas, que a entrada e saída de pessoas da cidade possa ser restringida por interesse público e determinação do Ministério da Saúde, além de possibilitar a adoção de medidas como isolamento, quarentena e a vacinação compulsória.

A cidade do Rio de Janeiro tem 14 casos confirmados de coronavirus.

Um gabinete de crise foi montado, que deve se reunir de quatro em quatro dias para discutir a efetividade das ações e a necessidade de novas.

Alguns espaços culturais privados da capital fluminense, como Sesc Rio, Oi Futuro, CCBB, e os teatros Petra Gold, Prudential, Riachuelo, Poeira e Multiplan) decidiram ocupar apenas metade da capacidade das casas nesta sexta, sábado e domingo.

Além disso, antes dos espetáculos será transmitido umvídeo com orientações da secretaria estadual de saúde sobre o coronavírus.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.