Com leitores, Mariliz Pereira Jorge discute sobre governo Bolsonaro e quarentena

Durante duas horas, colunista conversou com dez leitores em encontro virtual

São Paulo

“Gente, esse aqui é o Mia, que claramente não quer ficar no meu colo”. Foi assim que a roteirista e escritora Mariliz Pereira Jorge apresentou seu gato durante um encontro virtual com seus leitores.

Nos bate-papos organizados pela Folha, cada leitor pôde interagir direta e individualmente com ela e questioná-la sobre diferentes temas, que variaram desde o governo Bolsonaro até a pandemia do coronavírus e suas descobertas na quarentena.

Diversas perguntas tiveram como foco o presidente. Mariliz avalia que “a política e o governo Bolsonaro são temas presentes em qualquer conversa, seja num jantar de família, numa reunião com amigos por vídeochamadas. É o assunto que domina a vida”.

“Acho a iniciativa excelente. Em tempos de redes sociais em que a interação é constante, no jornal não temos o mesmo tipo de contato com os leitores”, disse Mariliz sobre o encontro, que disse que gostou tanto das conversas que nem viu as duas horas passarem.

A colunista da Folha Mariliz Pereira Jorge
A colunista da Folha Mariliz Pereira Jorge - Arquivo Pessoal

Os leitores foram convidados a participar por uma reportagem publicada no dia 30 de junho. Dez inscritos foram selecionados para as conversas, que eram individuais e com duração prevista de cinco minutos cada uma —tempo que acabou se estendendo, em muitos casos. A série de encontros teve início com conversas dos leitores com Mathias Alencastro.

Entre os selecionados para este segundo encontro, estavam leitores de diferentes partes do Brasil e mesmo residentes em outros países, como Argentina e Espanha. “Foi interessante ver como são perfis diferentes, com gêneros, idades diversos e que estão espalhados não só no Brasil, mas também fora daqui”, disse a colunista.​

Foi o caso de Milena Fontinele, 30, mestranda na Universidad Tecnológica Nacional em Buenos Aires, que, quando começou a conversar com a colunista, contou que estava superfeliz em falar com Mariliz e que sentia como se estivesse "conversando com a minha Xuxa".

“Adoro um bom papo e é gratificante falar com gente que acompanha e se interessa pelo que escrevo”, disse Mariliz, que emendou: “Quando tem de novo?”

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.