Paradas há quatro anos, obras da linha 6-laranja do Metrô serão retomadas

Com 15 km de extensão e 15 estações, linha deve ser entregue completa em cinco anos

São Paulo

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta segunda (5) a retomada das obras da linha 6-laranja do Metrô de São Paulo. A construção está parada desde 2016.

Prometida inicialmente para 2018, depois para 2020, então para 2021, a linha tem nova previsão de entrega. A obra completa deve ser entregue em cinco anos a partir desta terça (6), quando serão retomados os trabalhos.

A linha, composta de 15 estações e 15 km de extensão, vai ligar a Brasilândia, na zona norte, à estação São Joaquim, na Liberdade, na região central.

"Retomamos a partir de amanhã as obras, que estavam paradas desde 2016. As obras recomeçam com investimento de R$ 15 bilhões. A previsão de entrega completa é de cinco anos, contando a partir de amanhã", disse Doria.

As obras da linha foram paralisadas depois de o consórcio vencedor ficar sem dinheiro para a continuidade da construção. O consórcio Move São Paulo, que venceu a licitação para construir e operar a linha, era formado pelas construtoras UTC Engenheria, Queiróz Galvão e Odebrecht.

Depois da operação Lava Jato, as empresas desistiram da obra alegando não ter dinheiro e não conseguir crédito para continuar a construção.

A gestão Doria diz o grupo espanhol Acciona comprou os direitos do consórcio para evitar que uma nova licitação seja feita. "Se tivéssemos que seguir todos os processos jurídicos, todas as relicitações, a previsão de entrega era para 2028. Estamos em vantagem por ter evitado esse trâmite buroctático", disse Alexandre Baldy, secretário de transportes metropolitanos.

O trecho terá ainda integração com outras quatro linhas, do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). A previsão é de que, quando concluída, transporte 630 mil passageiros por dia.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.