Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Vélez cancela viagem a Israel em meio a crise

Compromisso definido em fevereiro estava confirmado até a manhã desta segunda (11)

Paulo Saldaña
Brasília

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, desistiu de embarcar nesta terça-feira (12) em uma viagem que passaria por Israel. A desistência ocorreu por causa da crise envolvendo mudanças de cargos e disputa entre grupos de influência na pasta.

A viagem, que duraria 15 dias, havia sido definida em fevereiro e era confirmada por assessores próximos ao ministro até a manhã desta segunda-feira. Vélez Rodríguez visitaria Israel em uma agenda de intercâmbio cultural e ainda seguiria para os Emirados Árabes Unidos e Alemanha.

O governo Jair Bolsonaro (PSL) tem promovido movimentos de aproximação com Israel. Chegou a anunciar a transferência da embaixada brasileira para Jerusalém, mas até agora não avançou na posição.

Auxiliares do ministro o convenceram de que não seria um bom momento para deixar Brasília. Na semana passada, Vélez Rodríguez iniciou uma dança das cadeiras dentro do MEC. Ex-alunos do escritor Olavo de Carvalho entraram na mira. No mesmo dia, o escritor Olavo de Carvalho havia publicado que seus ex-alunos deveriam sair do governo.

No domingo (10), Bolsonaro exigiu que o ministro demitisse um de seus assessores mais próximos, o coronel Ricardo Wagner Roquetti, e foi atendido. Roquetti havia sido apontado por Olavo e seguidores, sempre em publicações nas redes sociais, como o responsável por uma suposta perseguição a seus ex-alunos.

A demissão de Roquetti, a pedido do presidente, foi o que mais influenciou o ministro não viajar neste momento. O MEC tem sido palco de disputas entre alguns grupos. Há os militares, que ocupam cargos importantes, os discípulos de Olavo, técnicos oriundos do Centro Paula Souza (autarquia paulista que cuida das escolas técnicas) e até os ex-alunos do ministro (que ocupam três das seis secretarias do MEC). 

A viagem estava prevista de 12 a 27 de março. Em Israel, haveria visitas às cidades de Tel Aviv, Rehovot, Jerusalém e Haifa. Na Alemanha, as visitas teriam o objetivo de discussões sobre o ensino técnico e profissionalizante, com agendas na Universidade Livre de Berlim e de reuniões com dirigentes do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe e do Instituto Federal de Formação Profissional em Berlim, Karlsruhe e Bonn.

A agenda prevê visitas, em Dubai, ao Global Education and Skills Forum 2019, que ocorre na cidade entre os dias 23 e 24 de março, e ao The Higher Colleges of Technology.

Estava previsto que o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Alexandro Ferreira de Souza, fizesse parte da comitiva. A Folha questionou o MEC se Souza manteria o compromisso, mas até a publicação deste texto não houve retorno.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.