Descrição de chapéu DeltaFolha Enem

Colégio particular do Piauí lidera ranking do Enem 2018 por escola

Maioria entre as mais bem colocadas é de escolas privadas e fica no Sudeste

Paulo Saldaña Estêvão Gamba
Brasília e São Paulo

​Os alunos do Instituto Dom Barreto, do Piauí, conseguiram a maior nota média no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2018. A unidade particular de Teresina desbancou o Colégio Bernoulli, de Minas, que por cinco anos registrou o melhor desempenho no exame.

Das 100 escolas mais bem colocadas, 76 são do Sudeste. O Nordeste tem 13 escolas na lista, o Centro-Oeste, 10, e a região Sul aparece com 1 escola nesse grupo. 

 

A Folha tabulou os resultados do Enem 2018 a partir da base de dados divulgada pelo MEC (Ministério da Educação). O governo deixou de apresentar os resultados por escola em 2016.

A reportagem excluiu escolas com menos de dez alunos do 3º ano no exame e/ou com menos de 50% do total de estudantes na prova. A metodologia segue critério que o MEC adotou em anos anteriores.

A análise dos resultados também levou em conta apenas escolas com pelo menos 61 estudantes no 3º ano. Esse grupo se aproxima mais do universo de escolas brasileiras.

Ao considerar esse perfil, a tabulação da Folha resultou em uma lista de 4.612 escolas. Desse total, 77% são públicas e 23%, particulares.

No topo da lista aparece o Instituto Dom Barreto, com uma média de 723,93 na parte objetiva da prova. A média foi calculada a partir das quatro áreas da prova objetiva (linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas), sem contar a redação.

De acordo com dados do Enem, 117 alunos do Dom Barreto participaram do exame em 2018. A escola concentra estudantes com nível socioeconômico muito alto, segundo classificação do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) realizada em 2015. Este nível é o mais alto entre os sete patamares do indicador.

O Colégio Bernoulli aparece na sequência, com média de 715,69 pontos na parte objetiva. A escola, com o mesmo perfil de estudantes, tem um porte maior: fizeram o exame no ano passado 324 alunos, segundo dados oficiais.

Instituto Dom Barreto, em Teresina, escola que ficou no topo do ranking do Enem em 2019
Instituto Dom Barreto, em Teresina, escola que ficou no topo do ranking do Enem em 2019 - Thiago Amaral - 9.set.11/Folhapress

O Enem é a principal porta de entrada para a universidade pública no país. É adotado como vestibular em praticamente todas as universidades federais; instituições estaduais, como a USP, usam a nota para escolher parte dos alunos.

Especialistas indicam que as informações do Enem por escola podem trazer informações relevantes sobre o desempenho da escola, mas não devem ser o único critério para avaliar ou escolher uma escola.

Os dados revelam o abismo entre a rede privada e pública e o impacto do nível socioeconômico dos alunos no sucesso escolar.

Ao dividir o desempenho das escolas por faixas de nota, escolas privadas e com alunos mais ricos protagonizam o topo da lista. Do lado oposto estão unidades públicas e com estudantes mais pobres.

Nas 10% de escolas mais bem colocadas, que somam 461 unidades, 84% são privadas. Entre as públicas desse grupo predominam unidades federais (60 escolas), técnicas estaduais e colégios de aplicação —que, em geral, têm sistema de seleção de alunos.

Somente uma escola desse recorte fica no patamar médio no indicador socioeconômico. O restante tem nível alto (e 8% não têm índice calculado).

O retrato muda a cada faixa. Nos 10% piores, só há escolas públicas. Além disso, 83% desse grupo de escolas têm alunos entre os níveis socioeconômico mais baixos.

Da rede pública, a mais bem colocada é o Colégio de Aplicação Coluni da UFV (Universidade Federal de Viçosa), em 5º lugar em todo país. A média dos alunos foi de 708,05.

Do top 100, apenas 9 são públicas, e todas federais, colégios de aplicação ou militares.

A nota do Coluni da UFV foi superior à da escola particular de São Paulo mais bem colocada. O colégio particular Vértice, da capital paulista, teve a 6ª maior nota: 706,88.

LISTA

Ao considerar escolas de todos os portes, incluindo, dessa forma, unidades com poucos alunos, a tabulação da Folha com os dados do Enem 2018 resultou em 11.212 escolas. 

A maior nota, nessa lista, foi registrada pelo Colégio de Aplicação Farias Brito, de Fortaleza. Os 41 participantes do exame tiveram, em média, nota 735,72. Na sequência aparece o colégio Objetivo Integrado, de São Paulo, com média 730,61 (dos 46 participantes).

A consulta disponibilizada pela Folha considera todas as escolas, a partir dos critérios mínimos de participação no Enem, mas independentemente da quantidade de alunos. 

A tabulação resulta em uma relação de 11.212 escolas públicas e privadas. 

Metodologia

Os critérios para considerar os alunos no levantamento foram: 1) Só foram computadas as notas dos estudantes com a situação assinalada como "estou cursando e concluirei o ensino médio em 2018”; 2) Tipo de ensino = regular (exclui educação especial e EJA); 3) Foram considerados os estudantes que estiveram presentes nas quatro provas objetivas e na redação e obtiveram nota superior a zero; e 3) O número de estudantes no 3º ano corresponde aos estudantes matriculados no 3º ano do ensino médio regular e 3º ano do ensino técnico no ano de 2018 de acordo com o Censo Escolar 2018.

A partir dessa base de estudantes considerados, foram considerados os colégios com pelo menos dez alunos participantes no Enem 2018 e com pelo menos 50% de alunos participantes no exame. 

Para o indicador de nível socioeconômico das escolas, foram utilizadas as definições atribuídas pelo Inep às escolas no Enem 2015.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.