Empreendedor Social premia finalistas em webinário sobre boas práticas na pandemia

Durante seminário online em 7 de dezembro, serão anunciadas as Top 30 iniciativas de destaque na resposta à Covid-19 no país em três categorias

São Paulo

A Folha e a Fundação Schwab anunciam em 7 de dezembro os vencedores do Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19.

A edição especial de 2020 vai eleger as Top 30 iniciativas de destaque no enfrentamento à pandemia no país, em um evento virtual transmitido ao vivo.

Para dar visibilidade às ações e homenagear os finalistas, será realizado o webinário "Boas Práticas na Reposta à Covid-19", quando serão apresentados e debatidos os casos inspiradores selecionados entre 414 inscritos no concurso deste ano.

Em razão dos protocolos sanitários, os premiados nas três categorias, Ajuda Humanitária, Mitigação da Covid-19 e Legado Pós-Pandemia, irão ser conhecidos do público por meio de vídeos.

O porta-voz da cada uma das iniciativas vai narrar o seu papel e o impacto positivo gerado diante do desafio de combater o coronavírus e seus efeitos sociais, econômicos e sanitários.

Os casos serão debatidos por especialsitas que irão discutir o papel da filantropia, do investimento social privado e da atuação em rede e intersetorial dos empreendedores sociais no cenário desafiador da Covid-19.

Em razão da pandemia, em abril foi suspensa a edição regular do maior concurso de empreendedorismo social da América Latina, realizado anualmente há 16 anos pela Folha em parceria com a Fundação Schwab.

Três meses depois, foi lançada a premiação especial em consonância com o cenário pandêmico.

Segundo o diretor de Redação da Folha, Sérgio Dávila, "O Top 30 da área social é uma forma de a Folha contribuir para difundir e reconhecer as boas práticas no enfrentamento de uma crise sanitária, social e econômica sem precedentes".

A suspensão da 16a edição devido à pandemia foi seguida de articulação com parceiros e atores-chave do ecossistema de impacto social no Brasil para o redesenho do concurso.

A Fundação Schwab, parceiro internacional do prêmio desde 2005, caminhou na mesma direção, ao criar uma aliança global para acelerar ações em resposta à crise causada pelo novo coronavírus.

“Os empreendedores sociais e seus parceiros, que trabalham há anos para solucionar falhas de mercado e testar modelos mais sustentáveis e inclusivos, são ainda mais cruciais para superarmos a crise gerada pela Covid-19”, afirma François Bonnici, diretor-executivo da Schwab.

Com número recorde de inscrições, o Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19 avaliou iniciativas de ONGs, negócios sociais, movimentos, coalizões de grupos, organizações, articulações multisetoriais, entre outros modelos de atuação.

Ao ampliar para 30 o número de finalistas, a premiação reconhece desde as grandes iniciativas de alcance nacional até aquelas comunitárias.

Diferente das edições anteriores, não há um vencedor por categoria, mas sim uma lista dos dez destaques em cada grupo —que só virão a público na cerimônia online de 7 de dezembro.

As iniciativas do Top 30 serão agraciadas com uma série de benefícios entre cursos e mentorias e seleção para programas especiais, que somam mais de R$ 400 mil.

Além disso, candidatos selecionados ganham projeção nacional e internacional, reforçada pelo alto nível de qualificação e pelo networking oferecidos pelos parceiros, pela Rede Folha de Empreendedores Socioambientais e pela Rede Schwab.

O Empreendedor Social do Ano em Resposta à Covid-19 tem patrocínio de Ambev, Sesi/Senai e Coca-Cola. Conta com apoio da Vedacit e parceria estratégica de Ashoka, British Council, ESPM, Fundação Dom Cabral, Prosas, Pacto Global e UOL.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.