Saúde começa a distribuir 2,9 milhões de doses de Coronavac para imunizar idosos acima de 90 anos

A intenção da pasta é concluir a entrega do imunizante nesta segunda-feira (8)

Brasília

O Ministério da Saúde começou a distribuição de 2,9 milhões de doses da Coronavac aos estados e ao Distrito Federal neste sábado (6). A intenção nesta fase é imunizar idosos acima de 90 anos e continuar a vacinação em profissionais de saúde.

A pasta pretende concluir a entrega das doses do imunizante contra a Covid-19 na segunda-feira (8). A logística de distribuição da vacina está sendo realizada através de aviões.

O Governo Federal é responsável por fazer o transporte aos estados, que deverão realizar a distribuição aos municípios junto com o Ministério da Defesa.

Na cidade de São Paulo a vacinação para idosos acima de 90 já começou, com início antecipado de segunda (8) para esta sexta-feira (5). No primeiro dia foram imunizadas 12.914 pessoas, o que representa mais de um terço da população dessa faixa etária.

A aplicação das doses para esse grupo estava marcada para começar na segunda (8), mas foi antecipada depois de o município receber uma nova leva de doses.

O total de pessoas que deve receber as vacinas entre os grupos prioritários no país é de 77,2 milhões. Os idosos acima de 90 anos fazem parte da etapa quatro de vacinação.

Até o momento, foram distribuídas doses para idosos em asilos, pessoas com deficiência em instituições, indígenas em terras aldeadas e para trabalhadores de saúde da linha de frente contra a Covid.

O ministério aponta ter mais 354 milhões de doses contratadas para vacinação --das quais 212 milhões seriam da AstraZeneca/Fiocruz, 100 milhões do Butantan/Sinovac e 42,5 milhões do consórcio Covax Facility.

O Ministério da Saúde informou na sexta-feira (5) que está nas "últimas negociações" para adquirir 20 milhões de doses da vacina Covaxin, desenvolvida pela indiana Bharat Biotech. A pasta anunciou ainda que pretende adquirir 10 milhões de doses de vacinas Sputnik V importadas da Rússia por meio do laboratório União Química, que tem uma parceria para oferta do imunizante no Brasil.

Somados os dois acordos em negociação, seriam 30 milhões de doses de vacinas contra a Covid. A pasta, porém, não deu prazo para fechar os contratos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.