Real segura empate com Bayern e se classifica para final da Liga dos Campeões

Equipe espanhola empatou por 2 a 2 com o Bayern de Munique no Santiago Bernabéu

São Paulo

A classificação do Real Madrid para a final da Liga dos Campeões, após empate por 2 a 2 com o Bayern de Munique no Santiago Bernabéu nesta terça (1º), ajuda Cristiano Ronaldo numa meta já conhecida do português.

Com cinco troféus do prêmio melhor da Fifa, o atacante tenta superar Lionel Messi, que acumula o mesmo número de conquistas.

Das cinco vezes que o craque português levou o troféu, quatro aconteceram em anos em que seu time venceu a Liga dos Campeões (em 2014, 2016 e 2017, com o Real Madrid, e em 2008, com o Manchester United).

Já dos prêmios de Messi, três coincidiram com a conquista do título europeu (em 2009, 2011 e 2015). Sempre que o time de um dos dois jogadores venceu a Liga dos Campeões nos últimos dez anos, o prêmio individual foi dado para quem estava na conquista: ou o argentino ou o português.

Mais da metade dos prêmios de melhor jogador da Fifa entregues neste século foi para um atleta que venceu a Liga dos Campeões na temporada —os troféus coincidiram nove vezes em 17 anos. Nos últimos cinco anos, a coincidência ocorreu quatro vezes.

Eliminado nas quartas, Messi tentará embaralhar a decisão com sua atuação com a Argentina na Copa do Mundo.

O prêmio da Fifa é definido através das escolhas dos capitães e técnicos das seleções nacionais, de um grupo de jornalistas convidados pela Fifa e de torcedores que votam na internet. 

Alemanha e Espanha, os últimos dois campeões mundiais, conseguiram colocar atletas de suas equipes entre os  três finalistas do prêmio da Fifa. Nenhuma das seleções, porém, teve o número 1 da temporada. O último campeão do mundo a levar o prêmio foi Fabio Cannavaro, campeão com a Itália em 2006.

Desde a chegada de Cristiano Ronaldo a Madri, em, 2009, foram três títulos do principal torneio europeu conquistados pelo clube espanhol em oito disputados. No mesmo período, o rival Barcelona venceu dois.

Na era dos “galáticos”, quando o time contou com estrelas como Ronaldo, Zidane, Figo, David Beckham e Roberto Carlos, entre os anos de 2000 e 2006, o Real venceu apenas uma Liga dos Campeões, na temporada 2001/2002.

Apesar das chances de prêmio, Cristiano Ronaldo teve atuação apagada na partida de semifinal contra o Bayern de Munique. Os dois gols do time espanhol saíram dos pés de Benzema, sem participação do português.

A equipe de Madri podia até perder por 1 a 0 em casa para ficar com a vaga, já que havia vencido por 2 a 1 na Alemanha —os dois gols fora contariam como critério de desempate.

O Bayern de Munique começou o jogo atacando e abriu o placar logo aos três minutos. O lateral Joshua Kimmich aproveitou cruzamento de Corentin Tolisso para marcar o gol.

O time alemão, porém, não teve nem tempo para comemorar. Aos 11 minutos da etapa inicial, o Real Madrid devolveu com Karim Benzema, que marcou de cabeça após cruzamento de Marcelo.

O jogo continuou com boas oportunidades de ambos os lados. O primeiro tempo, que teve um leve predomínio do Bayern, ainda terminou com pedido de pênalti dos jogadores da equipe alemã, que reclamaram de toque de mão de Marcelo na bola dentro da área adversária.

A segunda etapa começou no mesmo ritmo intenso da primeira, com gol do Real aos 20 segundos, após falha da defesa do Bayern. 

Tolisso recuou mal a bola e o goleiro Ulreich deixou passar. Benzema, sozinho, aproveitou para empurrar para as redes e marcar seu segundo na partida.

O Bayern não se deixou abater e, aos 17, empatou o jogo. Do lado direito do gol de Navas, James Rodríguez chutou rasteiro para o fundo da rede. Após marcar, o jogador preferiu não comemorar contra sua ex-equipe.

Depois disso, o Bayern se lançou ao ataque, em busca do gol que lhe daria a classificação. Teve chances com Tolisso, novamente com James Rodríguez e com Müller, de cabeça. 

Apesar de segurar a pressão até o final, a equipe parou nas boas defesas de Navas e não conseguiu virar a partida decisiva.

Maior campeão da história da competição, se levar mais um título, o Real também quebrará outro recorde. Ninguém venceu três vezes seguidas desde que o torneio foi remodelado em 1992. 

Antes disso, quando ainda se chamava Taça dos Campeões Europeus, o Bayern foi o último a realizar o feito, na década de 1970. Comandada por Beckenbauer, Sepp Mayer e Gerd Müller, a equipe dominou a competição de 1974 a 1976.

A única vez em que o Real Madrid teve um domínio tão prolongado no continente foi na década de 1950. Ainda no início do campeonato europeu, o time venceu todas as edições entre os anos de 1955 e 1960.

ROMA X LIVERPOOL


O rival do Real Madrid será definido nesta quarta-feira, na segunda partida entre Roma e Liverpool, pela semifinal do torneio. 

No primeiro embate, em casa, o time inglês goleou  o rival por 5 a 2, com dois gols e duas assistências do egípcio Mohamed Salah. 

Agora a equipe inglesa pode perder o segundo jogo por até 2 a 0 e garantir a vaga na fase final.

“Estamos em uma situação muito melhor do que pensei antes do jogo. Mas isso não é perfeito ainda. A Roma é um rival difícil, não perdeu, nem mesmo levou gols em casa na Liga dos Campeões”, afirmou o técnico do Liverpool, Jürgen Klopp.

Por ter marcado duas vezes no jogo de ida na Inglaterra, o time italiano avança se ganhar por 3 a 0, 4 a 1 ou a partir de quatro gols de vantagem nesta quarta.

A Roma, no entanto, se ampara em uma virada histórica recente para tentar buscar o resultado e a consequente classificação à decisão.

Após derrota por 4 a 1 na Espanha para o Barcelona, pelas quartas de final, a equipe conseguiu reverter o placar e fez 3 a 0 no estádio Olímpico, na capital italiana.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.