Descrição de chapéu Agora

Por que Ceni e Marcos inspiram Cássio a bater recorde no Corinthians

Goleiro cita Ronaldo como melhor na posição no clube e se espelha em fidelidade de rivais

São Paulo | Agora

De contrato renovado até dezembro de 2022, Cássio usa os ídolos rivais como espelho e sonha em alcançar um recorde de Ronaldo Giovanelli no Corinthians.

Cássio tem 383 jogos com a camisa alvinegra e, com mais quatro anos de contrato, pode chegar aos 602 de Ronaldo.

"É uma marca expressiva, o goleiro que mais vestiu a camisa do Corinthians, mas minha meta agora é pensar nos 400 jogos", disse o camisa 12.

Cássio defende pênalti contra o São Paulo em jogo do Campeonato Paulista de 2018
Cássio defende pênalti contra o São Paulo em jogo do Campeonato Paulista de 2018 - Paulo Whitaker - 28.mar.18/Reuters

"Somos movidos por desafios, então tento chegar perto dos números dele, sim, porque é um cara que admiro e respeito muito. Talvez dê para chegar em uns 450 jogos neste ano e quem sabe no futuro consiga alcançá-lo", projetou.

O goleiro chegou ao Corinthians em 2012 e pode completar 11 anos na função se cumprir seu novo contrato até o final. Na lista de goleiros com mais jogos, Cássio já está prestes a ultrapassar o lendário Gylmar dos Santos Neves, que jogou 395 partidas entre 1951 e 1961.

Ronaldo Giovanelli também ficou uma década no posto, entre 1988 e 1998, algo quase impensável em tempos atuais.

Cássio afirma que o palmeirense Marcos e são-paulino Rogério Ceni foram exemplos de identificação com os clubes que defenderam, por isso pretende seguir os passos dos ídolos dos rivais.

"São referências para mim, de como ser profissional e de somar tempo de casa, o que é raro no futebol brasileiro", afirma o corintiano.

Marcos, que jogou 530 partidas pelo Palmeiras, se aposentou no início de 2012, aos 38 anos. Ceni fez 1.237 jogos pelo São Paulo e se despediu no fim de 2015, aos 42.

"Sou muito identificado aqui. Tento fazer o melhor pelo Corinthians, me sinto em casa, gosto do ambiente e das pessoas que aqui trabalham."

Com oito títulos conquistados, incluindo Libertadores e Mundial, Cássio evita se apontar como o maior da história do clube.

"O Corinthians é muito grande para alguém se achar o melhor. É a história que diz, por si só. Na minha opinião é o Ronaldo, que passou dez anos aqui. É um cara que eu aprendi a admirar muito. Uma das metas é passar [o número de jogos], estabelecer recordes no Corinthians, mas para mim ele sempre será o melhor", opina.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.