Atletas do Bangu são hospitalizados após incêndio em alojamento

Além dos jogadores, um soldado precisou de atendimento médico

Atletas do Bangu fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do CT do Flamengo
Atletas do Bangu fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do CT do Flamengo - Facebook/Bangu
São Paulo

Dois jogadores do Bangu e um soldado foram hospitalizados nesta segunda-feira (11), depois de um princípio de incêndio ocorrido no alojamento da Comissão de Desportos da Aeronáutica, no Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro. A informação foi publicada pelo Globoesporte.com e confirmada pelo próprio clube, em contato com o UOL Esporte.​

Em nota, o Bangu informou na noite desta segunda que um dos jogadores internados, o lateral esquerdo Diego Casco, 18, já foi liberado. Já o zagueiro Mattheus Rocha, 18, continua em observação por ter inalado fumaça.

Além deles, outros cinco atletas e um membro da comissão técnica receberam atendimento médico no local e não precisaram ser levados para o hospital. A causa do incêndio ainda está sendo apurada.

Todos os jogadores do Bangu que estavam no alojamento na hora do ocorrido vão passar por exames. O processo é uma determinação médica por precaução.

O incêndio nas instalações da Aeronáutica ocorre menos de uma semana após a tragédia no CT Ninho do Urubu, do Flamengo. Dez meninos das categorias de base, instalados em uma estrutura temporária no moderno espaço de treinos da equipe rubro-negra, morreram na última sexta-feira.

CT da Aeronáutica custou R$ 58 milhões

O local do acidente é uma das principais casas do esporte militar no Brasil. O local, inaugurado em 2016, é gerido pela Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA) e mais conhecido pelo nome do bairro onde está localizado: o Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro. O custou total das oras de modernização do local foi de R$ 58,2 milhões.

Nomeado Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, o CT pertence à Universidade da Força Aérea (UNIFA) e foi inaugurado pouco antes da Rio-2016. Depois, cedido, por empréstimo, ao Comitê Organizador dos Jogos. Ali foram modernizados uma piscina aquecida e coberta, dois ginásios, uma pista de atletismo e um hotel para 142 pessoas.

Antes da Olimpíada, o local foi a base de treinamento para a seleção brasileira de atletismo, que fez um camping fechado no local e utilizou o hotel. Em diversas ocasiões o local recebeu treinamentos da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que chegou a montar um projeto social no local. No ano passado, o Campo dos Afonsos recebeu o Mundial Militar de Natação.

A competição recebeu um investimento de R$ 1,1 milhão do Ministério do Esporte, em convênio firmado com o Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa. O evento envolveu 131 atletas, de 12 países: Alemanha, Canadá, França, Índia, Iraque, Luxemburgo, Polônia, Rússia, Sri Lanka, Suíça e Ucrânia, além, é claro, do Brasil.

Com informações do UOL

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.