Descrição de chapéu The New York Times

Aposta de risco em Kawhi permitiu ao Toronto enfim brilhar na NBA

Estreante já se destacou mais do que qualquer outro atleta na história do time

Alex Wong
Nova York | The New York Times

Vinte e quatro temporadas, 1.920 jogos de temporada regular, 18 séries de playoffs, 99 partidas de playoffs.

Foi só no centésimo jogo de pré-temporada em sua história que o Toronto Raptors garantiu sua primeira ida às finais da NBA, vencendo em casa o Milwaukee Bucks por 100 a 96, no sábado (25), e conquistando o título da conferência leste em seis partidas.

O sucesso sempre foi passageiro para a única franquia da NBA que resta no Canadá. O primeiro jogador selecionado pelo Toronto no draft, Damon Stoudamire, conquistou o prêmio de calouro da temporada naquele ano, mas exigiu ser trocado e foi parar em Portland antes do final de sua terceira temporada.

Vince Carter deu ao Raptors seu primeiro gostinho de atenção nacional, com um desempenho espantoso no concurso de enterradas do Jogo das Estrelas de 2000 e um duelo nos playoffs contra Allen Iverson um ano mais tarde. Mas em 2004 ele também exigiu sair, e uma era dourada terminou antes mesmo de começar.

 

Chris Bosh foi o próximo superastro na fila, mas só conseguiu levar o time a duas eliminações na primeira rodada dos playoffs, em suas sete temporadas com o Raptors. Ele deixou a equipe como agente livre, em 2010, e se uniu a LeBron James e Dwyane Wade em Miami.

DeMar DeRozan floresceu como astro em seus nove anos jogando pelo clube, mas Masai Ujiri, presidente do Raptors, se cansou dos apagões rotineiros do Raptors nos playoffs, e depois da temporada passada decidiu trocar o único jogador que um dia expressou o desejo de jogar a carreira inteira pelo Raptors.

A troca levou DeRozan, chocado, para o San Antonio Spurs, em troca do discreto e talentoso Leonard, que estava a um ano de se tornar agente livre.

Foi um risco considerável para Toronto. Mas deu ao Raptors exatamente o que o time precisava em uma conferência leste enfim liberta do domínio de James, que se transferiu ao Los Angeles Lakers: um superastro competente no ataque e na defesa, e capaz de ser o melhor jogador em qualquer série de playoffs.

A troca foi validada de todas as maneiras possíveis pelo desempenho histórico de Leonard nos playoffs. Ele foi responsável pela primeira vitória em um jogo sete decidida por uma cesta de último segundo, nos playoffs deste ano, garantindo a vitória do Raptors contra o Philadelphia 76ers, na segunda rodada. Já chegou à terceira posição entre os cestinhas do time em pós-temporadas, abaixo apenas de DeRozan e de Kyle Lowry. Leonard teve 11 jogos com pelo menos 30 pontos nos playoffs deste ano.

Ele é um arremessador dominante, mas também mostrou jogo defensivo. O Raptors venceu as quatro últimas partidas da série contra o Bucks quando o treinador Nick Nurse encarregou Leonard de marcar Giannis Antetokounmpo, no jogo três. No jogo cinco, quinta-feira (23), Leonard teve nove assistências, o maior total de sua carreira, para acompanhar seus 35 pontos em uma vitória fora de casa.

No sábado, com uma vaga nas finais da NBA em jogo, ele teve 17 rebotes —o recorde de sua carreira— e 27 pontos, e pontuou sua candidatura a melhor jogador dos playoffs com uma enterrada retumbante, com uma mão só, por sobre Antetokounmpo, no quarto final da partida.

O Buck havia vencido as duas primeiras partidas da série e estava a duas vitórias do título da conferência leste, e até ali tinha 10 vitórias e uma derrota nos playoffs, depois de uma temporada regular em que venceu 60 jogos, na melhor campanha da NBA.

Em quatro jogos, Leonard pôs fim à temporada mágica do Bucks, provando ser o melhor jogador da série no ataque e na defesa. Em uma única pós-temporada, Leonard produziu mais momentos memoráveis para o Raptors do que qualquer outro jogador nos 24 anos de história do clube.

Kawhi Leonard ergue o troféu de campeão da conferência leste da NBA
Kawhi Leonard ergue o troféu de campeão da conferência leste da NBA - John E. Sokolowski - 25.mai.19/ Usa Today Sports

No primeiro dia de entrevistas oficiais do time para a temporada, em setembro, depois de Leonard ser apresentado formalmente como jogador do Raptors, Ujiri se frustrou com os jornalistas que continuavam a questionar se Toronto era visto, entre os profissionais da NBA, como time e cidade capazes de persuadir um superastro do calibre de Leonard a ficar no time em longo prazo.

"Não temos por que nos desculpar", disse Ujiri. "Esta é uma bela cidade. Temos a sorte de contar com um time da NBA, o único fora dos Estados Unidos. Não consigo me convencer de que uma cidade como Toronto encare o futuro com desconfiança".

No sábado, oito meses depois do início oficial da parceria entre clube e jogador, Ujiri estava ao lado de Leonard na entrega do troféu pelo título da conferência leste, realizada diante dos torcedores do clube.

"Kawhi é o melhor jogador do mundo, e estamos felizes por ele estar em Toronto", disse Ujiri.
Pouco depois da entrega do troféu, Leonard disse que "não me importa ser o melhor jogador. Quero estar no melhor time".

Depois de décadas de esforço para chegar ao topo, o Raptors agora pode se afirmar como melhor time da conferência leste. Está a quatro vitórias de um título da NBA, e na quinta-feira (30) as finais da NBA serão iniciadas no Canadá pela primeira vez na história da liga.

A vitória do sábado representou a descarga de duas décadas e meia de frustrações para uma torcida que continua a crescer, com o avanço do basquete no Canadá. Dois outros times da cidade estão atravessando secas de títulos. O Toronto Blue Jays não vence uma World Series de beisebol desde 1993. O Toronto Maple Leafs não vence a Stanley Cup do hóquei desde 1967.

O Raptors tem a chance de fazer história não só para o clube mas para a cidade de Toronto. Pela primeira vez, a torcida não precisará reviver as dores do passado ou se preocupar com a incerteza quanto à decisão de Leonard sobre continuar ou não no time. Ela pode curtir o presente e torcer por um time que provou o que é capaz de fazer.

A pós-temporada de Leonard será assunto de conversa em Toronto por décadas. Talvez ainda reste um capítulo a mais a escrever, começando pela primeira partida da decisão contra o Golden State Warriors, na quinta-feira.

Tradução de Paulo Migliacci

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.