Descrição de chapéu Futebol Internacional

Chelsea e Arsenal realizam sonho do futebol inglês de chegar à Ásia

Equipes de Londres decidem a Liga Europa nesta quarta, no Azerbaijão

Paulo Vinicius Coelho
Baku

Parecia uma loucura do ex-presidente da Premier League, Richard Scudamore, quando em 2008 sugeriu o 39º jogo. Seu sonho era realizar uma partida do Campeonato Inglês depois da 38ª rodada em algum lugar distante do mundo.

Parte do processo de globalização do torneio nacional mais badalado seria levar clubes ingleses para Ásia, Europa, América...

Em pleno brexit, o processo de saída do Reino Unido da Comunidade Europeia, a Inglaterra terá não apenas seu 39º como também o 40º. Só que chamados de finais de Liga Europa e Champions League.

Torcedores de Arsenal e Chelsea se encontram em Baku, no Azerbaijão
Torcedores de Arsenal e Chelsea se encontram em Baku, no Azerbaijão - Aziz Karimov/Reuters

A primeira das decisões está marcada para as 23h de quarta-feira (29), no horário do Azerbaijão (16h de Brasília): Chelsea x Arsenal, com transmissão da Fox Sports.

Será a primeira vez que um torneio europeu será decidido numa cidade asiática. O Azerbaijão não está em território europeu, mas é filiado à Uefa, também por ter sido parte da antiga União Soviética.

Em 2005, a Champions League foi decidida em Istambul, que tem parte de seu território na Ásia e parte na Europa. Baku, capital do Azerbaijão, candidatou-se para receber a final da Champions League, foi preterida por Madri, mas ganhou a chance de sediar a Liga Europa.

Como prêmio, recebe uma finalíssima com cara de Champions. Há dez anos, Arsenal e Chelsea poderiam ter decidido o título em Roma, mas foram derrotados nas semifinais por Manchester United e Barcelona, respectivamente.

Baku é uma cidade de 2,2 milhões de habitantes, controlada pelo presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, que pretende exportar a imagem da capital para o mundo por meio do esporte. Foi candidata a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, mas perdeu para o Rio de Janeiro. Há três anos, recebe uma etapa do Mundial de F-1.

A Inglaterra dominou as competições europeias de 1977 a 1985, com 7 títulos em 9 anos na Copa dos Campeões. A sequência foi interrompida pela suspensão imposta pela Uefa depois da morte de 39 torcedores numa briga promovida por torcedores do Liverpool na final contra a Juventus, em maio de 1985.

A hegemonia pareceu retornar na década passada. Nas 8 edições de 2005 a 2012, houve 8 clubes ingleses nas finais. Só em 2010, quando Internazionale e Bayern decidiram, os britânicos ficaram fora, mas esse ano foi compensado por Manchester United e Chelsea na finalíssima de 2008, em Moscou.

Nessa época, no entanto, os britânicos não ligavam para a Liga Europa, o segundo torneio em importância. Passaram a dar importância quando a Uefa definiu que o vencedor se classifica para a Champions League seguinte. O Chelsea ganhou em 2013, e o Manchester United, em 2017.

Esta temporada é a primeira da Europa com finalistas de um mesmo país nas duas competições. Mas a final de quarta-feira reúne dois papões de troféus nos últimos 25 anos. O Arsenal ganhou o campeonato três vezes desde a criação da Premier League. O Chelsea venceu cinco. Liverpool e Tottenham nunca venceram o campeonato depois da evolução da liga.

Daí Chelsea e Arsenal confirmarem o sonho louco de Richard Scudamore. Nesta quarta-feira, em Baku, acontecerá o 39º jogo da Premier League. Só que em formato de final europeia.

CHELSEA
ARSENAL

16h, no Azerbaijão
Na TV: Fox Sports  ​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.