Bolsonaro comemora transmissão própria do Flamengo e 'carta de alforria'

Presidente faz referência à Globo, que rompeu acordo de TV do Estadual do Rio

Brasília

Na noite desta quinta-feira (2), em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro comemorou a decisão do Flamengo de se fazer valer da Medida Provisória 984 para transmitir em seu canal no YouTube a partida contra o Boavista, pelo Estadual do Rio de Janeiro, na quarta-feira (1º).

"Tinha uma televisão aí, que tinha o monopólio e pagava acho que R$ 500 mil, R$ 600 mil cada jogo. Então, o Flamengo ontem faturou, juntamente com o Boavista, mais de R$ 10 milhões transmitindo na internet. Então, parabéns ao Flamengo, parabéns ao presidente Jair Bolsonaro que assinou a medida provisória, dando aqui a carta de alforria, a liberdade para que os times de futebol, o mandante, negocie conforme ele quer vender o seu direito de imagem [de transmissão]", afirmou o presidente.

O Flamengo não confirmou os valores que arrecadou com sua transmissão ao vivo, nem que os dividiu com o Boavista. Segundo o UOL, chegou perto de R$ 900 mil.

Nesta quinta, a Globo decidiu romper o acordo de direitos de televisionamento do Estadual do Rio, por entender que a partida transmitida pela Fla TV feriu cláusula do contrato firmado antes da medida provisória ser assinada pelo presidente.

Na live, Bolsonaro vestia uma camisa do Flamengo. De acordo com deputados que almoçaram com o presidente nesta quinta, o diretor de relações institucionais do clube, Aleksander Silvino dos Santos, participou do encontro.

Bolsonaro recebeu nesta semana dirigentes de outros oito clubes: Athletico, Bahia, Ceará, Coritiba, Fortaleza, Internacional, Palmeiras e Santos, equipes que possuem contrato de TV fechada com a empresa americana Turner para o Campeonato Brasileiro. O objetivo foi debater os efeitos práticos da MP para o futebol do país.

Da esq para a dir: Márcio Tannure, médico do Flamengo, Jair Bolsonaro, Rodolfo Landim, presidente do clube, e Aleksander Santos, diretor de relações institucionais
Da esq para a dir: Márcio Tannure, médico do Flamengo, Jair Bolsonaro, Rodolfo Landim, e Aleksander Santos, diretor de relações institucionais do clube carioca - Márcio Tannure - 19.mai.20/Instagram

O presidente também aproveitou um momento de sua transmissão para estimular o Corinthians a aderir ao texto de sua medida provisória. O clube é presidido por Andrés Sanchez, ex-deputado federal pelo PT.

"O pessoal diz que eu tenho que usar um dia a camisa do Corinthians, mas o Corinthians tem que entrar neste time aí, pô. O Corinthians é uma das maiores torcidas do Brasil, tem que entrar nessa do livre direito de negociar imagem [diretos de transmissão]", afirmou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.