Bruno Soares vai à final de Roland Garros em busca de título inédito

Ao lado de Pavic, tenista brasileiro alcança sua segunda decisão de Grand Slam seguida

São Paulo

A dupla do tenista brasileiro Bruno Soares, 38, com o croata Mate Pavic, 27, avançou nesta quinta-feira (8) à final de Roland Garros. Eles derrotaram os colombianos líderes do ranking mundial Juan Sebastián Cabal, 34, e Robert Farah, 33, por 2 sets a 0 (7/6 e 7/5).

A primeira decisão do mineiro em Roland Garros (após duas derrotas em semifinais anteriormente) será disputada no sábado (10), após a final feminina de simples, marcada para as 10h (de Brasília). SporTV e BandSports transmitem o torneio.

Os adversários serão os alemães Kevin Krawietz, 28, e Andreas Mies, 30, atuais campeões.

Soares e Pavic, que iniciaram parceria em junho de 2019, têm a chance de conquistarem seu segundo título de um torneio do Grand Slam juntos e também de forma consecutiva, após vencerem o US Open há menos de um mês.

O troféu em Nova York foi o terceiro do brasileiro em duplas masculinas nos Slams e o primeiro desde 2016 (são dois US Open e um Australian Open na carreira). Ele soma outros três em duplas mistas nos quatro principais eventos do tênis.

Agora, Soares buscará um título inédito para ele no saibro de Roland Garros. O último triunfo nacional no Slam de Paris, onde Gustavo Kuerten fez história com seu tricampeonato em simples, foi obtido pelo duplista Marcelo Melo em 2015, ao lado do croata Ivan Dodig.

Caso vençam no sábado, brasileiro e croata serão os primeiros campeões de Roland Garros e US Open no mesmo ano desde 2009, quando o tcheco Lukas Dlouhy e o indiano Leander Paes fizeram isso.

Por causa da pandemia e do consequente adiamento de Roland Garros, em 2020 esses torneios foram jogados de forma praticamente consecutiva (o Slam de Paris acontece tradicionalmente em maio/junho). Normalmente, há a disputa de Wimbledon entre esses dois eventos, mas neste ano ele acabou cancelado.

Em 2016, Soares também venceu dois Slams de duplas masculinas na mesma temporada, o Australian Open e o US Open, na época atuando com o britânico Jamie Murray.

O brasileiro Bruno Soares (à frente) e Mate Pavić durante vitória nas semifinais de Roland Garros - Nicolas Gouhier/Federação Francesa de Tênis

Em outro novo capítulo da relação entre o tênis brasileiro e Roland Garros, foi anunciado nesta quinta que o Rio Open, principal torneio do país, agora está associado ao Slam e a outros quatros torneios disputados no saibro (Barcelona, Buenos Aires, Lyon e Estrasburgo).

O objetivo do chamado Roland Garros Pro Series é criar uma rede de parceiros internacionais, além de atuar em conjunto na organização de eventos e na criação de conteúdos.

Decisão feminina terá duelo de jovens

A americana Sofia Kenin, 22, sexta colocada do ranking mundial, e a polonesa Iga Swiatek, 19 anos e 54ª da lista, disputarão a final feminina de simples em Paris, sábado (10), às 10h (de Brasília).

Kenin, vencedora do Australian Open neste ano, bateu a tcheca bicampeã de Wimbledon Petra Kvitova por 2 sets a 0, mesmo placar da vitória da revelação polonesa sobre a argentina Nadia Podoroska.

Depois de passar pela fase classificatória, Podoroska, grande surpresa do torneio e 131ª do ranking até o seu início, repete a derrota nas semis de Roland Garros de suas compatriotas Raquel Giscafré (1974), Gabriela Sabatini (1985, 1987, 1988, 1991 e 1992), Clarisa Fernández (2002) e Paola Suárez (2004).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.