Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/08/2007 - 18h59

Procurador-geral quer mais provas para reforçar mensalão

Publicidade

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília

Autor das denúncias que transformaram em réus os 40 acusados de envolvimento com o mensalão, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, disse nesta terça-feira que vai buscar provas para reforçar as acusações feitas por ele durante as investigações. Ele negou ainda que, entre as testemunhas, pretenda ouvir o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o procurador-geral, o fato de o STF (Supremo Tribunal Federal) ter recebido as denúncias contra os acusados comprova que os fatos relatados por ele apresentavam elementos sobre a existência do mensalão.

"Evidentemente que o recebimento da denúncia é uma demonstração de que as informações lançadas no seu corpo representavam pelo menos para este ato processual elementos suficientes de convencimento", disse Souza.

Em seguida, o procurador-geral afirmou que a preocupação do Ministério Público é reforçar os "dados probatórios que já constam dos autos relativamente a tudo que foi afirmado". "Eu fiz a denúncia convencido das afirmações [feitas]", disse o procurador-geral, após o encerramento de mais 30 horas de sessão do julgamento da denúncia.

Sem demonstrar irritação com as críticas que recebeu dos advogados e dos réus, Souza disse que eles perderam tempo.

"Eu sempre tive a expectativa que a denúncia seria recebida. Alguns advogados preferiram, ao invés de demonstrar as razões de seus clientes, fazer críticas à denúncia, certamente perderam um tempo precioso nessa exposição", afirmou Souza.

Evitando definir prazos sobre a conclusão dos processos envolvendo os 40 acusados, o procurador-geral disse que se esforçará para dar agilidade às investigações.

"[Fazer uma previsão sobre prazos] é evidentemente um exercício de futurologia, mas já se percebe pela decisão final tomada hoje que todo o tribunal está preocupado em agilizar dentro dos limites legais o julgamento deste processo", disse Souza.

Confira a lista dos denunciados que já viraram réus e os crimes a que responderão:

João Paulo Cunha - corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato
Marcos Valério - corrupção ativa (2x), peculato (3x), lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas
Cristiano Paz - corrupção ativa (2x), peculato (3x), lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Ramon Hollerbach - peculato (3x), corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Henrique Pizzolato - peculato (2x), lavagem de dinheiro e corrupção passiva
Luiz Gushiken - peculato
Kátia Rabello - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro e evasão de divisas
José Roberto Salgado - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Vinícius Samarame - gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Ayanna Tenório - gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro
Simone Vasconcelos - lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Geiza Dias dos Santos - lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Rogério Tolentino - lavagem de dinheiro
Anderson Adauto - lavagem de dinheiro (2x) e corrupção ativa
Paulo Rocha - lavagem de dinheiro
Professor Luizinho - lavagem de dinheiro
João Magno - lavagem de dinheiro
Anita Leocádia - lavagem de dinheiro
José Luiz Alves - lavagem de dinheiro
Pedro Henry - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
José Janene - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Pedro Corrêa - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
João Cláudio Genu - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Enivaldo Quadrado - formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Breno Fischberg - formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Carlos Alberto Quaglia - formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Valdemar Costa Neto - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Jacinto Lamas - corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro
Bispo Rodrigues - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Antonio Lamas - lavagem de dinheiro e formação de quadrilha
Roberto Jefferson - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Romeu Queiroz - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Emerson Palmieri - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
José Borba - corrupção passiva e lavagem de dinheiro
José Dirceu - corrupção ativa e formação de quadrilha
José Genoino - corrupção ativa e formação de quadrilha
Delúbio Soares - corrupção ativa e formação de quadrilha
Silvio Pereira - formação de quadrilha
Duda Mendonça - lavagem de dinheiro e evasão de divisas
Zilmar Fernandes - lavagem de dinheiro e evasão de divisas

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página