Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/12/2007 - 12h28

Em depoimento à Justiça, João Paulo Cunha nega envolvimento com mensalão

Publicidade

RENATA GIRALDI
da Folha Online, em Brasília

Em depoimento à Justiça Federal de Brasília, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) negou envolvimento com o escândalo do mensalão --esquema que financiava parlamentares do PT e da base aliada em troca de apoio político.

Cunha prestou depoimento na manhã de hoje à juíza Maria de Fátima Costa, da 10ª Vara Federal Criminal. "Estamos restabelecendo o início da verdade e da Justiça", disse o deputado na saída do depoimento.

O parlamentar responde pelos crimes de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A mulher dele, Márcia Regina Cunha, teria sacado da agência do Banco Rural em Brasília R$ 50 mil. Inicialmente, ele disse que a mulher havia ido à agência pagar uma conta de TV a cabo. Depois, mudou a versão e disse que o dinheiro ajudou na campanha do PT em Osasco.

Hoje, durante o depoimento, o deputado disse que não teria como ocultar que sua mulher sacou o dinheiro, mas que não sabia que os recursos viriam do empresário Marcos Valério e que seriam usados para pagar dívidas de campanha no interior de São Paulo.

O advogado de Cunha, Alberto Zacharias Toron, afirmou que eles têm cinco dias para apresentar sugestões de testemunhas do caso e que vai usar este período, mas lembrou que o Judiciário entra em recesso no final desta semana, retornando os trabalhos apenas no início de fevereiro.

O deputado José Genoino (PT-SP), também acusado de envolvimento com o escândalo do mensalão, será ouvido na tarde de hoje. O interrogatório foi solicitado pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Amanhã, devem ser ouvidos Paulo Rocha (PT-PA), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).

Mensalão

O STF acatou a denúncia contra todos os 40 acusados pelo procurador-geral Antonio Fernando de Souza de envolvimento com o mensalão.

Entre os denunciados estão os ex-ministros José Dirceu (Casa Civil), Luiz Gushiken (Comunicação do Governo) e Anderson Adauto (Transportes), o empresário Marcos Valério, os deputados João Paulo Cunha e José Genoino, além do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), autor das denúncias do mensalão.

O ministro Joaquim Barbosa, relator do caso, autorizou juízes federais de oito Estados e do Distrito Federal a interrogar e receber a defesa prévia dos réus no processo.

Comentários dos leitores
Francisco Silva (358) 20/01/2010 18h45
Francisco Silva (358) 20/01/2010 18h45
Rui,
Mau Político é um Pleonasmo Vicioso. Algo como subir para cima, entrar para dentro ou sair para fora...
sem opinião
avalie fechar
Rui Ruz Caputi Caputi (1912) 19/01/2010 16h41
Rui Ruz Caputi Caputi (1912) 19/01/2010 16h41
Nossos maus politicos são como animais carniceiros comendo nossa carcaça, enquanto não restarem apenas nossos ossos não largarão a mamata. 2 opiniões
avalie fechar
Francisco Silva (358) 19/01/2010 14h19
Francisco Silva (358) 19/01/2010 14h19
Não vi na notícia do mensalão referência ao Gov. José Serra, mas sim ao PT, ao José DIRCEU, Luiz Gushiken, etc.
Eu vejo os desesperados PeTófilos quererem associar tudo de ruim ao nome de Serra, das chuvas (o dobro da média para o período) às mortes pelas chuvas (muito menos do que no Rio de Janeiro - Angra dos Reis e Ilha grande, cidades e estado governados pelo PMDB, aliados do PT), à enchente no Jardim Pantanal, instalado lá há quase 40 anos, ou seja passou por Abreu Sodré, Maluf, Pitta, Jânio, Erundina, Marta, Serra e Kassab (não nesta ordem), em área de invasão, notadamente em cota mais baixa que o rio Tietê. Agora a culpa é do Serra...
Daqui mais um pouco vamos ler comentários afirmando que o terremoto no Haiti foi culpa do Serra...
É cômico o desespero desse pessoal.
10 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (3061)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página