Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/01/2007 - 19h07

Tornozeleira eletrônica vai rastrear casal da Renascer 24 horas por dia

Publicidade

da Folha Online

O casal Sônia Haddad Moraes Hernandes e Estevam Hernandes Filho, fundadores da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, deixou a prisão nos Estados Unidos, mas continua sendo vigiado pela polícia norte-americana. É que o juiz que autorizou a saída deles da prisão obrigou o casal a usar uma espécie de tornozeleira eletrônica.

Divulgação
Bispa Sônia, da Renascer
Bispa Sônia, da Renascer
Dessa forma, a polícia conseguirá monitorar todos os passos do casal enquanto eles estiverem respondendo processo nos Estados Unidos. Esse equipamento emite sinais de localização GPS para os agentes federal marshalls (policias federais). Com isso, Sônia e Estevam Hernandes serão monitorados pela polícia 24 horas por dia.

Eles são acusados nos Estados Unidos de declaração falsa à alfândega e "cash smuggling" (contrabando de dinheiro, em tradução literal). (Saiba quais são as acusações contra os fundadores da Igreja Renascer)

Depois de deixar a prisão, Sônia e Estevam seguiram para a mansão de Boca Ratón, no número 12.582 da Torbay Drive, localizado no condomínio fechado Boca Falls. Eles estão impedidos de deixar a Flórida até o julgamento do processo que corre contra eles nos Estados Unidos. A primeira audiência do casal com a Justiça dos EUA foi marcada para quarta-feira (24).

O promotor do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), do Ministério Público de São Paulo, Arthur Pinto de Lemos Junior, disse que eles foram libertados por uma decisão judicial pouco usual em se tratando de imigrantes e sobre o qual ele afirmou não ter maiores detalhes.

"O juiz entendeu que esse nível de liberdade era suficiente, mas não é uma medida comum aplicada no caso de imigrantes."

Divulgação
Apóstolo Estevam Hernandes
Apóstolo Estevam Hernandes
O advogado Luiz Flávio Borges D'Urso afirmou que os fundadores da Renascer foram libertados porque demonstraram à Imigração norte-americana que "episódio no aeroporto de Miami" não teve relação com os processos a que respondem à Justiça brasileira. No Brasil, Sônia e Estevam respondem à acusações lavagem de dinheiro, estelionato e falsidade ideológica.

A defesa sustenta que houve somente um equívoco no preenchimento das declarações e que teriam condições de transportar até US$ 70 mil, por estarem em sete pessoas (o casal, dois filhos e três netos). "O fato de que só três declarações foram apresentadas gerou este gigantesco e injusto constrangimento vivido pelo casal Hernandes", afirma o advogado, por meio de nota.

Prisão

Os casal Hernandes havia sido detido no último dia 9 assim que desembarcou no aeroporto de Miami por declarado falsamente para à alfândega norte-americana que não carregava mais de US$ 10 mil cada. O casal portava, entretanto, US$ 56 mil em espécie.

Relatório produzido pela própria alfândega norte-americana revela que o casal transportava os dólares escondidos em diversos compartimentos, como bolsas, porta-CDs e até dentro de uma bíblia, que estava na bagagem de Sônia.

O casal ficou preso no Centro de Detenção Federal, na região central de Miami, até terça-feira, quando os dois foram transferidos para detenções da polícia de imigração.

Estevam seguiu para o Centro de Detenção Krome, enquanto sua mulher foi levada para uma prisão em West Palm Beach, próxima de Boca Raton, cidade onde o casal possui uma mansão. (Teoria da Prosperidade, expansionismo e música são "bases" da Renascer)

Brasil

Sônia e Estevam conseguiram embarcar para os Estados Unidos porque obtiveram no final de dezembro uma liminar no STJ (Superior Tribunal de Justiça) revogando o pedido de prisão preventiva que havia contra eles. Até então, eles eram considerados foragidos.

No Brasil, Sônia e Estevam são acusados de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, evasão de divisas e estelionato. Os crimes envolveriam as doações feitas pelos fiéis e a abertura de "empresas fantasmas". (Renascer tem pagodeiros e jogadores de futebol entre os fiéis)

No Brasil, a Justiça já havia bloqueado alguns bens do casal, como um haras na região de Atibaia (SP). Apesar de o casal possuir uma fortuna estimada em R$ 19 milhões, como uma mansão na Flórida, a igreja acumula dívidas de R$ 12 milhões --como os aluguéis dos vários templos da Renascer.

Após a prisão do casal nos Estados Unidos, o Gaeco conseguiu uma liminar na Justiça que determina a prisão preventiva do casal. Os promotores também já entraram com um pedido de extradição do casal ao Brasil. Os advogados do casal, entretanto, tentam impedir a extradição.

Leia mais
  • Justiça fecha 7 igrejas da Renascer nos EUA
  • TJ-SP nega habeas corpus que tentava barrar extradição de casal da Renascer
  • Pedido de extradição de casal da Renascer chega ao Ministério da Justiça
  • Promotor rebate advogado e diz que casal da Renascer pode ser extraditado
  • Justiça de São Paulo marca audiência para abril com fundadores da Renascer
  • Saiba mais sobre os fundadores da Igreja Renascer

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a prisão na Renascer
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página