Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/10/2006 - 21h00

Diretora da Anac confirma colisão entre avião da Gol e jato Legacy

Publicidade

da Folha Online

A diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Denise Abreu, confirmou neste domingo que houve colisão entre o Boeing da Gol e o jato executivo Legacy, fabricado pela Embraer. O acidente aconteceu na última sexta-feira (29), quando o Boeing caiu em uma área de mata fechada de Mato Grosso, com 154 pessoas a bordo.

Até sábado, a Anac e a Aeronáutica considerava como "mera especulação" a possibilidade de colisão entre as aeronaves. Agora, a afirmação tem como base a análise das caixas pretas de voz e de dados do Legacy, que foram examinadas pela comissão técnica de investigação, instituída pela Anac e pelo comando da Aeronáutica.
Divulgação/FAB
Imagem mostra destroços de avião da Gol que caiu em área de mata fechada em MT
Imagem mostra destroços de avião da Gol que caiu em área de mata fechada em MT


"O que dá para afirmar é que houve colisão", disse Abreu. Apesar disso, ela preferiu não dar detalhes sobre o caso. "Ainda que você tenha todos os dados da caixa preta do Legacy, ainda não temos as da Gol. E essas informações precisam ser cruzadas", afirmou.

Resgate

As equipes da FAB (Força Aérea Brasileira) que realizam as buscas às vítimas chegaram ao local neste domingo e encontraram dois corpos, ainda não identificados.

Os destroços estão espalhados por uma extensa região. Inicialmente, as buscas seriam feitas em uma área de aproximadamente 10 quilômetros, agora ampliada para 20 quilômetros quadrados

As equipes de resgate ainda abrem clareiras na mata. O trabalho de resgate deve levar uma semana, segundo o presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Milton Zuanazzi.

Legacy

Apesar de danos na asa, o Legacy conseguiu pousar na base aérea de Cachimbo. A aeronave, que seguia para os Estados Unidos, era ocupada por sete pessoas --piloto, co-piloto, dois funcionários da Embraer, um jornalista do "The New York Times" e dois funcionários da Excel Aire, empresa que comprou o jato.

Em depoimento, os pilotos --que são americanos-- disseram não ter visto o Boeing, apesar de terem sentido um pequeno impacto. "Viram uma sombra e [ouviram] um barulho", disse Zuanazzi. Para ele, o fato pode ser justificado pela velocidade das duas aeronaves no momento da colisão.

A caixa-preta do Legacy seguiu neste domingo para análise em São José dos Campos (SP). Segundo o presidente da Anac, apenas a análise da caixa-preta pode dar um "acabamento" melhor para se chegar às causas do acidente.

Com Agência Brasil

Leia mais
  • Equipes encontram corpos em local de acidente aéreo e ampliam área de buscas
  • Gol transporta para Brasília familiares que quiserem acompanhar resgate

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o Boeing da Gol
  • Confira a cobertura completa do vôo 1907
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página