Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/12/2008 - 20h12

Após enchentes, Porto de Itajaí (SC) funciona em regime emergencial

Publicidade

da Agência Brasil
da Folha Online

O Porto de Itajaí voltou a funcionar neste domingo (7), em regime emergencial, após as tempestades e enchentes que atingiram o estado de Santa Catarina.

No regime emergencial o porto recebe navios de pequeno porte, conhecidos como "navios feeder", que precisam de pouca profundidade para operar. A capacidade dos navios feeder é, aproximadamente, um terço da apresentada pelos navios que normalmente operam no terminal portuário.

As embarcações vão movimentar as cargas de exportação que ficaram paradas em Itajaí com as cheias. O escoamento será feito via porto de Santos, de onde vão chegar, 292 containeres vazios. De início, 45 containeres cheios seguirão para o terminal portuário paulista, segundo a superintendência do Porto de Itajaí.

A Secretaria de Portos deve anunciar nessa semana o vencedor da licitação para a dragagem do porto e os trabalhos devem demorar pelo menos 60 dias. A dragagem e as obras de recuperação dos berços vão usar os R$ 350 milhões liberados por meio da Medida Provisória 448, anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em visita ao local no último dia 26.

De acordo com superintendência do Porto de Itajaí, a economia nacional perde cerca de US$ 35 milhões por dia com a desativação do terminal portuário.

Recuperação

A reconstrução do porto de Itajaí, uma das cidades mais devastadas pelas chuvas em Santa Catarina, deve começar ainda este ano. O aumento do nível da água do rio Itajaí destruiu integralmente o berço 1, e parcialmente os berços 2 e 3. Apenas o berço de número 4 tem condições de entrar em operação.

De acordo com a superintendência do Porto, a construção do berço zero --privado--, prevista para ser finalizada no início de 2009, deve ser acelerada e ao menos 200 funcionários já trabalham para que o berço seja finalizado antes do final de 2008.

Com a finalização do berço zero e a recuperação do berço 4 --previsto para voltar a funcionar até a próxima semana-- o porto irá recuperar 80% da sua capacidade de movimentação de cargas.

Dragagem

A prioridade para a recuperação do Porto de Itajaí é a dragagem de 3.800.000 m3 de lama e entulho depositados no rio. Para tanto, serão necessárias dragas especiais --inexistentes da região.

Os deslizamentos de terra alteraram a profundidade do canal do rio Itajaí, impedindo a entrada de navios de grande porte no porto. Antes dos deslizamentos, a profundidade média do canal do rio era de 11,5 metros. Hoje, a profundidade média registrada é de 5,5 metros.

O Porto de Itajaí é responsável por cerca de 14.000 empregos diretos.

James Tavares - 26.nov.2008/Secom
Vale do Itajaí sofre com os deslizamentos causados pela chuva; todo o Estado está em situação de emergência
Vale do Itajaí sofre com os deslizamentos causados pela chuva; todo o Estado está em situação de emergência
Comentários dos leitores
carmem santos (16) 22/11/2009 11h17
carmem santos (16) 22/11/2009 11h17
eu como brasileira, agora com vergonha de ser,quero fazer uma critica a esse lula que air estar querendo aterrorisar nosso pais fazendo e pior trazendo esse presidente do irã pra car..o que ele quer com isso ?será possivel que esse luda não vai para de apoiar esse tipo de pessas terroristas,que mata as pessoas sem dor nem piedade,seria bom se com ele vinhece um homem bomba e quando entrase no planalto acionace o relogio quando tivese todos junto...para de apoiar bandido vai apoiar seu pove que estar morrendo afogado,nas balas perdidas,na secas do nordeste....e vc. só quer aparecer pra esse cara.....se liga cara...o brasil é de paz. sem opinião
avalie fechar
Rodrigo França (1) 10/09/2009 23h45
Rodrigo França (1) 10/09/2009 23h45
SC foi atingida pelas chuvas no segundo ano em regiões distintas e na mesma época, no outono. Em 2008 foram Itajaí e Blumenau e agora, região do extremo-oeste.
A maior dificuldade está em reconstruir a estrutura como, energia para hospitais, agroindústrias e saúde sanitária nas cidades afetadas.
Além dos subsídios e contribuições, a prevenção releva a atenção em abastecer almoxarifados com materiais, geradores, vacinas e recursos nessas regiões.
O prejuízo nas indústrias, estradas e porto de Itajaí, produção agrícola, reflete na economia do turismo em Florianópolis, Balneário Camboriú e Porto Belo, região onde se concentram a praias visitadas no verão.
A BR 101 está quase toda duplicada, verão a economia do litoral aquece como o clima.
sem opinião
avalie fechar
fernando carlos (1) 13/01/2009 15h20
fernando carlos (1) 13/01/2009 15h20
Santa CAtarina virou uma calamidade, os entes públicos deixaram a desejar, faltou é criatividade, no meio de tanta desgraça, teriam eles que motivar os turistas. 4 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (409)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página