Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/11/2007 - 21h33

Exército dos EUA tem onda de suicídios entre veteranos de guerra

Publicidade

da France Presse, em Nova York

As Forças Armadas dos Estados Unidos passam por uma "epidemia de suicídios" com veteranos de guerra que tiram a própria vida, ao ritmo de pelo menos 120 casos por semana, revelou nesta quarta-feira a rede de TV CBS.

Segundo a pesquisa da CBS, pelo menos 6.256 se suicidaram em 2005, uma média de 17 por dia. De acordo com esses números, os veteranos têm duas vezes mais chances de se matar do que o restante da população.

Enquanto a taxa de suicídios na população americana é de 8,9 por 100.000 pessoas, o nível entre ex-militares é de 18,7 a 20,8 a cada 100.000. Essa taxa salta de 22,9 a 31,9 suicídios por 100.000 entre os veteranos de 20 a 24 anos, quase quatro vezes mais do que o restante da população na mesma faixa etária.

"Esses números mostram claramente que há uma epidemia de problemas de saúde mental", avalia Paul Sullivan, defensor dos direitos dos veteranos de guerra.

A CBS também cita o pai de um soldado de 23 anos que se matou em 2005, para quem o governo dos Estados Unidos está escondendo a gravidade do problema.

"Ninguém quer apresentar a soma de casos como um total em nível oficial", disse Mike Bowman. "Não querem que se saiba o verdadeiro número de vítimas".

Há 25 milhões de veteranos de guerra nos Estados Unidos, dos quais 1,6 milhão estiveram recentemente nos conflitos do Afeganistão e do Iraque, segundo a CBS.

"Nem todos voltam para casa feridos, mas a verdade é que ninguém volta para casa sendo a mesma pessoa", afirmou Paul Rieckhoff, ex-fuzileiro naval e fundador de uma associação de veteranos.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página